Categories: Giro do Boi

IBGE: Abate de bovinos cresce 1,6% em relação ao 1º trimestre de 2018

No 1º trimestre de 2019, foram abatidas 7,89 milhões de cabeças de bovinos sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária. Essa quantidade foi 1,6% superior à aferida no 1° trimestre de 2018 e 3,6% inferior à registrada no trimestre imediatamente anterior.

O abate de 121,06 mil cabeças de bovinos a mais no 1º trimestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano anterior, refletiu os aumentos em 14 das 27 unidades da federação (UFs). Entre aquelas com participação acima de 1,0%, ocorreram variações positivas em: Mato Grosso (+144,40 mil cabeças), Tocantins (+35,59 mil cabeças), Rondônia (+27,87 mil cabeças), Mato Grosso do Sul (+25,59 mil cabeças), Paraná (+11,60 mil cabeças) e Santa Catarina (+3,90 mil cabeças).

As quedas mais intensas ocorreram no Pará (-36,93 mil cabeças), Minas Gerais (-25,53 mil cabeças), Goiás (-23,29 mil cabeças), Rio Grande do Sul (-14,51 mil cabeças), São Paulo
(-11,23 mil cabeças), Acre (-9,56 mil cabeças), Maranhão (-9,46 mil cabeças) e Bahia (-9,27 mil cabeças).

Entre as UFs, Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, com 17,1% da participação nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (11,3%) e São Paulo (9,8%).

Aquisição de Couro recua 2,2% em relação ao 1º trimestre de 2018

No 1º trimestre de 2019, os curtumes investigados pela Pesquisa Trimestral do Couro – aqueles que efetuam curtimento de pelo menos 5 mil unidades inteiras de couro cru bovino por ano – declararam ter recebido 8,49 milhões de peças de couro. Houve reduções em ambas as comparações: de 5,8% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 2,2% frente ao 1° trimestre de 2018.

O comparativo entre os 1os trimestres de 2018 e 2019 indica uma variação negativa de 186,96 mil peças no total adquirido pelos estabelecimentos. Os destaques positivos em números absolutos ficaram com Tocantins (+101,60 mil peças), Minas Gerais (+80,15 mil peças), Paraná (+38,61 mil peças) e Rondônia (+27,08 mil peças).

As maiores reduções foram em São Paulo (-117,19 mil peças), Goiás (-81,78 mil peças), Rio Grande do Sul (-81,22 mil peças), Pará (-51,54 mil peças), Mato Grosso (-26,37 mil peças) e Mato Grosso do Sul (-3,73 mil peças).

Mato Grosso continua a liderar a relação de Unidades da Federação que recebem peças de couro cru para processamento, com 16,1% da participação nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (13,7%) e São Paulo (11,3%).

Fonte: IBGE.

This post was published on 14 de junho de 2019

Share
Published by
Equipe BeefPoint
Tags: ibge

Recent Posts

Mercado de carne de frango tem Recuperação frágil após tempestade Covid-19, diz Rabobank

A indústria avícola global está se recuperando gradualmente de uma tempestade que ocorreu no primeiro… Read More

7 de julho de 2020

Teste rápido é inútil para conter a covid-19 dentro de frigoríficos

Sob escrutínio das autoridades devido à propagação da covid-19 entre funcionários, os frigoríficos brasileiros podem… Read More

7 de julho de 2020

Brasil cobra do Japão abertura de mercado para carne e melão

O Brasil e vários outros países cobraram do Japão, mais uma vez, maior abertura de… Read More

7 de julho de 2020

Boi: 50% dos pecuaristas podem deixar a atividade até 2040, diz Embrapa

Um dos pilares do agronegócio brasileiro, a cadeia da pecuária de corte movimentou o correspondente… Read More

7 de julho de 2020

Exportação de carne bovina bate recorde

As exportações brasileiras de carne bovina (in natura e processada) somaram 172,36 mil toneladas em… Read More

7 de julho de 2020