Categories: Giro do Boi

Grass Fed Standard for Beef lançado pelo Irish Food Board

O Bord Bia, da Irlanda, lançou um novo Standard for Grass Fed for Beef, (padrão para carne bovina a pasto) permitindo rastrear e verificar a porcentagem de pasto consumida na dieta de rebanhos bovinos irlandeses.

O novo Grass Fed Standard – que Bord Bia diz ser o ‘primeiro do mundo’ a ser lançado em escala nacional – significa que os processadores irlandeses serão capazes de apoiar uma reivindicação de pasto para a carne irlandesa proveniente de vacas criadas a pasto.

A alimentação a pasto sempre foi o sistema de produção da Irlanda, disse Bord Bia. Os ‘exuberantes campos verdes, ar puro e chuva abundante’ criam o ‘ambiente perfeito para a produção de carne’, observou o Irish Food Board, ‘que converte pastagem em produtos premium ricos em nutrientes’.

E de acordo com pesquisas realizadas por Bord Bia e Ernst and Young em 2018, os consumidores estão dispostos a pagar um preço mais alto por isso.

As descobertas revelaram que metade dos consumidores globalmente disse que “produzido a pasto” influenciaria sua escolha de carne bovina, pois eles acreditam que o gado produzido a pasto leva uma vida mais “natural” ao ar livre. Além disso, “produzido a pasto” sugere que eles são mais propensos a serem tratados de forma ética.

Sessenta e quatro por cento disseram que pagariam mais pela carne bovina produzida a pasto. E o mais importante para a Bord Bia, que promove produtos alimentícios irlandeses no exterior, as pesquisas indicam uma forte demanda entre os compradores nos mercados estrangeiros. As descobertas também sugerem que os processadores estão cada vez mais adotando a alimentação a pasto como meio de diferenciação competitiva.

Atingindo o padrão Grass Fed

“Quase metade dos consumidores globalmente associam a Irlanda com pasto, então desenvolvemos este padrão em resposta direta ao crescente consumidor internacional e à demanda de clientes por produtos saudáveis e produzidos naturalmente”, explicou Padraig Brennan, Diretor de Carnes, Alimentos e Bebidas de Bord Bia.

“O Grass Fed Standard, e seu logotipo associado, permitirão aos clientes que usam carne bovina irlandesa qualificada diferenciar seus produtos aos consumidores que buscam cada vez mais clareza sobre a proveniência dos alimentos, bem como o desejo de comprar carne naturalmente saborosa de sistemas a pasto naturalmente sustentáveis.”

Então, como os processadores irlandeses podem atingir o novo padrão? Seguindo as diretrizes de especificação do Grass Fed Standard for Beef, disse Brennan.

“Os animais qualificados devem ser de fazendas que sejam membros do Esquema de Garantia de Carne e Cordeiro Sustentável (SBLAS). O SBLAS está incluído no escopo de credenciamento do Bord Bia para o Padrão Internacional para Certificação de Produto ISO 17065: 20122, credenciado pelo Conselho Nacional de Credenciamento da Irlanda (INAB).”

Existem cinco regras que os processadores devem seguir de acordo com as diretrizes do Grass Fed Standard for Beef, continuou o Diretor de Carnes, Alimentos e Bebidas. Em primeiro lugar, os animais devem ser de fazendas membros do SBLAS, no entanto, os primeiros nove meses de vida de um animal podem ser gastos em fazendas sem garantia de qualidade.

Em segundo lugar, pelo menos 90% da ingestão de alimentos do animal ao longo de sua vida deve consistir em pasto ou forragem.

Em terceiro lugar, a avaliação deve ser concluída usando os dados coletados durante as auditorias agrícolas SBLAS e armazenados no banco de dados de garantia de qualidade Bord Bia.

A quarta regra, explicou Brennan, é que o gado deve pastar ao ar livre por uma média nacional de 220 dias por ano – com uma permissão de até 40 dias a menos, onde o tipo de solo ou clima podem impedir temporadas de pastejo mais longas.

E, finalmente, a quinta regra afirma que bois, novilhas e vacas estão incluídos no escopo da norma. Os touros jovens foram incluídos em uma revisão preliminar submetida ao INAB para revisão.

“O modelo Grass Fed usará os dados coletados durante as auditorias SBLAS em fazendas, com certificação ISO e auditadas de forma independente, para determinar o status de alimentação a pasto de cada rebanho participante”, disse Brennan a esta publicação.

O Bord Bia espera que o novo logotipo seja mais relevante para os mercados do Reino Unido, Itália, Alemanha e Holanda.

Até agora, a reação da indústria tem sido “altamente favorável”, disse Brennan. Isso, ele explicou, é porque o padrão representa “o ponto de diferença”. “Outros países têm padrões, mas nenhum que seja verificado independentemente com base em um modelo científico.”

Fonte: FoodNavigator.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 14 de outubro de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Hoje é o último dia para participar da nova turma do AgroTalento

As inscrições para o AgroTalento 2020 estão abertas e encerram HOJE, quarta-feira, dia 28 de… Read More

28 de outubro de 2020

Experimente o AgroTalento Grátis por 15 dias e ganhe uma mentoria exclusiva

As inscrições para o AgroTalento 2020 estão abertas e encerram quarta-feira, dia 28 de outubro… Read More

27 de outubro de 2020

Pecuaristas dos EUA exigem transparência de mercado

Uma coalizão de 17 organizações estaduais de pecuaristas dos EUA está convocando líderes do Congresso… Read More

27 de outubro de 2020

JBS vai inaugurar confinamento para 12 mil bois em Mato Grosso

A JBS vai inaugurar um novo confinamento em Confresa (MT). A unidade de engorda intensiva… Read More

27 de outubro de 2020

Rio Grande do Sul realiza o embarque de 13 mil terneiros vivos

O Rio Grande do Sul promoveu o embarque de 13 mil terneiros vivos com destino… Read More

27 de outubro de 2020

Levar internet ao campo é uma forma de dar acesso à educação e à saúde no interior do Brasil

Nas pequenas e médias propriedades rurais onde a internet ainda não chega, o potencial de… Read More

27 de outubro de 2020