Grande demanda para a carne bovina dos EUA em Taiwan impulsiona as exportações do país

Em um ano no qual as exportações de carne bovina dos Estados Unidos deverão alcançar US $ 8 bilhões em valor, Taiwan – um país insular com população de menos de 24 milhões – destaca-se como uma estrela, especialmente para cortes de carne bovina refrigerada de maior valor.

Com dois meses de dados ainda faltando sobre o ano de 2018, as exportações para Taiwan já superaram os recordes de 2017. Até outubro de 2018, as exportações totalizaram 49.135 toneladas, 34% acima do ano anterior e bem acima do recorde do ano 44.800 toneladas. O valor das exportações foi de US$ 455,3 milhões, um aumento de 36% e a quebra do valor anterior de US$ 410 milhões.

Quando os resultados finais de 2018 estiverem disponíveis, o valor de exportação para Taiwan excederá US $ 540 milhões, mais do que duplicando apenas nos últimos cinco anos. A carne bovina resfriada representará cerca de US $ 300 milhões desse total, já que a carne bovina dos EUA detém mais de 75% do mercado de carne bovina resfriada de Taiwan – a maior parcela de qualquer destino asiático.

Joel Haggard, vice-presidente sênior da Federação de Exportações de Carnes dos Estados Unidos (US Export) para a região Ásia-Pacífico, disse que a carne bovina resfriada dos EUA capturou a atenção e a imaginação de uma ampla gama de donos de restaurantes taiwaneses.

“A carne bovina dos EUA está capitalizando em um nível muito alto de inovação de cardápio em Taiwan”, disse Haggard. “Se você é um jovem empreendedor em Taiwan, pode criar um modelo de negócios em torno da carne bovina dos EUA. Você pode abrir uma churrascaria, um restaurante de hot-pot, ou até mesmo um churrasco coreano ou uma banca de hambúrguer, e construir um negócio lucrativo em torno da carne bovina dos Estados Unidos.”

Semelhante ao Japão e à Coreia do Sul, o mercado taiwanês está passando por uma “mania de bife”. Essa crescente afinidade com o bife levou recentemente a USMEF a desenvolver o “Steaklicious” como o nome de sua promoção mais recente em Taiwan.

A USMEF também reconheceu restaurantes que têm apresentado de forma confiável e fiel produtos de carne bovina dos EUA em seus cardápios. Para ser selecionado para o programa de fidelidade “Diamond Plus Precious” da USMEF, os pratos de carne bovina dos EUA devem responder por mais da metade do total de itens de carne no cardápio de um restaurante, todas as ofertas de carne bovina dos EUA devem ser classificadas como USDA Choice ou superior e a classificação do corte devem ser claramente marcados no menu. Em troca, os membros Diamond Plus Precious recebem apoio da mídia da USMEF destacando a disponibilidade de carne bovina dos EUA em seus estabelecimentos.

Tanto a promoção do Steaklicious quanto o programa Diamond Plus Precious Awards foram possíveis graças ao apoio do Beef Checkoff.

Haggard, cujo corpo de trabalho em Taiwan se estende por mais de 30 anos, observa que além da alta popularidade da carne bovina americana entre os fregueses de restaurantes, os clientes de supermercados também se sentem muito mais confortáveis em comprar carne bovina americana e cozinhar em casa.

“Nos primeiros dias, os clientes de varejo levavam carne bovina produzida a pasto, muito dura e importada, e a pouca carne doméstica que estava disponível e a cozinhavam por muito tempo”, explica Haggard. “Mas décadas de promoções da USMEF mostraram aos consumidores muitas maneiras simples de se preparar e aproveitar a carne bovina produzida com grãos dos EUA em casa. Essas promoções na loja realmente funcionam, e elas estão valendo a pena, já que os consumidores ganham mais acesso a programas de culinária, sites e outros recursos que lhes dão confiança para experimentar novas receitas e técnicas de culinária.”

Haggard disse que um benefício adicional do sucesso crescente da carne bovina dos EUA em Taiwan é que ela fornece um modelo para como a carne bovina dos EUA pode ser apresentada no futuro na China continental.

“Enquanto Taiwan é um mercado espetacular por si só, a USMEF também vê isso como uma base de pesquisa e desenvolvimento para nosso programa na China”, explica ele. “Nós vemos o comportamento de compra do consumidor chinês e o uso de carne bovina evoluindo muito do jeito que tem em Taiwan. Existem muitas semelhanças e muitas maneiras de aplicar o conhecimento e a experiência adquirida em Taiwan. ”

Fonte: BEEF Magazine, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar