Governo e produtores apostam em sustentabilidade para fortalecer pecuária e preservar Pantanal

O Governo do Estado, juntamente com os produtores rurais do Pantanal e entidades do setor apostam na pecuária alicerçada nas boas práticas agrícolas para fomentar a produção de carne sustentável e orgânica, baseada no modelo tradicional pantaneiro, com baixo nível de intervenção no bioma da região.

Hoje quinta-feira (22.11), às 11h15, no auditório da Famasul, o governador Reinaldo Azambuja assina o decreto do Programa de Avanços na Pecuária de M

ato Grosso do Sul (PROAPE), que institui o subprograma “Carne Sustentável e Orgânica do Pantanal”, em Mato Grosso do Sul. Trata-se de incentivo da administração estadual para fomentar a produção da bovinocultura de corte Pantaneira. O ato terá a presença do presidente da Famasul, Maurício Saito, e demais representações da classe produtora rural do Estado.

“É uma iniciativa para darmos mais competitividade ao produtor do Pantanal e incentivarmos a pecuária bovina de baixo impacto ambiental. É, ainda, uma ferramenta fundamental para mantermos o alto nível de preservação do nosso bioma e estimularmos a atividade econômica focando na rentabilidade do homem pantaneiro”, comenta o secretário Jaime Verruck, da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro).

O titular da Semagro fará a apresentação do “Carne Sustentável e Orgânica do Pantanal”, demonstrando o leque de oportunidades, sob o ponto de vista do desenvolvimento sustentável, que serão proporcionadas por essa nova modalidade de incentivo na pecuária. Jaime Verruck, juntamente com o secretário Guaraci Fontana, da Secretaria de Fazenda (Sefaz) também assina a Resolução Conjunta Sefaz/Semagro, com as normativas especificas do subprograma de Apoio à Produção de Carne Sustentável e Orgânica do Pantanal.

Foto: Edemir Rodrigues

Aos moldes de outras ações do PROAPE, os produtores da região pantaneira que aderirem ao subprograma Carne Sustentável e Orgânica do Pantanal recebem isenção de impostos. A redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) pode chegar a 50% na produção de carne sustentável e a 67% na produção orgânica.

Entre os benefícios dessa modalidade de produção estão a valorização do homem pantaneiro, com a tradição de processos produtivos que historicamente preservam o Pantanal; o bem-estar animal registrado em todas as fases do processo produtivo; a responsabilidade ambiental com a conservação da biodiversidade e do ecossistema; e a responsabilidade social, registrada com a carne livre de resíduos químicos e que atende a consumidores comprometidos socialmente.

De acordo com a Associação Brasileira de Produtores Orgânicos (ABPO), 22 produtores rurais do Pantanal produzem carne orgânica e abatem cerca de 1.000 cabeças por mês.

Fonte: Portal MS.

This post was published on 22 de novembro de 2018

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

FALTAM 2 DIAS !!! Black Friday Mentoria AgroTalento 2021

Nesta quinta-feira, dia 26/11, vamos abrir as inscrições para a Mentoria AgroTalento 2021 com uma… Read More

24 de novembro de 2020

Senado uruguaio votará pela proibição do uso de denominações de carnes em proteínas obtidas em laboratório

Senadores da coalizão multicolorida no Uruguai votaram a favor de uma proposta que proibirá lojas,… Read More

24 de novembro de 2020

Manejo sustentável reduz em 90% emissões de CO2 na produção de carne em MT

A adoção de técnicas de manejo sustentáveis na produção de gado, com suplementação alimentar, recuperação… Read More

24 de novembro de 2020

Com frigoríficos no vermelho, varejo deve absorver alta da arroba nos próximos meses

A expressiva valorização da arroba bovina em um ano de queda na economia tem gerado… Read More

24 de novembro de 2020

EUA querem aliança informal de países para contestar pressões comerciais da China

O governo dos EUA está avaliando a adoção de novas medidas contra a China nas… Read More

24 de novembro de 2020

JBS captou R$ 1,9 bi com emissão de CRAs lastreados em debêntures

A JBS captou R$ 1,876 bilhão com a emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio… Read More

24 de novembro de 2020