Governo do Reino Unido vai acabar com pagamentos diretos aos agricultores

O governo do Reino Unido apresentou seu projeto de lei agrícola pós-Brexit ao Parlamento nesta semana, que encerrará os pagamentos diretos de subsídios aos agricultores.

De acordo com o secretário de Meio-Ambiente, Michael Gove, essa política pós-Brexit vai investir no meio-ambiente e “retomar o controle para os agricultores depois de quase 50 anos sob as regras da União Europeia (UE)”.

O Departamento de Meio-Ambiente, Alimentos e Assuntos Rurais (Defra) disse que o atual sistema de subsídios de pagamentos diretos era “ineficaz” e pagava os agricultores com base na quantidade total de terras produtivas.

Ele disse que esses pagamentos foram direcionados para os maiores proprietários de terras e não estavam ligados a nenhum benefício público específico. Os 10% dos principais destinatários recebem atualmente quase 50% do total de pagamentos, enquanto os 20% inferiores recebem apenas 2%.

A proposta da Lei Agrícola é que, no futuro, os agricultores e administradores de terras sejam pagos por “bens públicos”, como melhor qualidade do ar e da água, melhor sanidade do solo, maiores padrões de bem-estar animal, acesso público ao campo e medidas para reduzir as inundações.

A Defra disse que o governo pretendia que o novo Sistema Ambiental de Gerenciamento de Terra começasse no próximo ano depois de trabalhar com os agricultores para projetar, desenvolver e testar a nova abordagem.

A Defra disse que os pagamentos diretos seriam feitos na mesma base que agora em 2019 e 2020. Ele simplificaria o sistema o mais rápido possível, sujeito aos termos do período de implementação geral do Brexit.

Haveria, então, um período de transição agrícola na Inglaterra entre 2021 e 2027, à medida que os pagamentos fossem gradualmente eliminados.

O projeto de lei também forneceria financiamento para agricultores para ajudar a aumentar a produtividade e investir em pesquisa e desenvolvimento.

O governo disse que também seria capaz de fazer pagamentos durante um período de transição de sete anos para os agricultores investirem em novas tecnologias e métodos que aumentem a produtividade.

Gove disse: “A introdução da Lei da Agricultura é um momento histórico quando deixamos a UE e avançamos em direção a um futuro melhor para a agricultura. Depois de quase 50 anos presos a regras da UE pesadas e desatualizadas, temos a oportunidade de entregar um Brexit Verde. Este projeto nos permitirá recompensar os agricultores que protegem nosso meio-ambiente, deixando o campo em um estado mais limpo, mais verde e mais saudável para as gerações futuras. De maneira crítica, também forneceremos a transição suave e gradual que os agricultores e administradores de terras precisam para planejar com antecedência”.

Fonte: GlobalMeatNews.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar