Categories: Giro do Boi

Feira que aproxima agricultores e consumidores leva mais de 3 mil a parque em SP

Aproximar o consumidor de quem produz o alimento foi o objetivo de uma feira que reuniu mais de três mil pessoas e cerca de 30 produtores rurais no sábado, 12. O evento durou o dia todo no Parque da Água Branca, na zona oeste da capital paulista.

Arroz preto, milho vermelho, azeites nacionais, embutidos, queijos premiados, cervejas artesanais, produtos feitos de cacau, carnes, cafés, doces, bebidas e artesanato de diversas regiões do País foram alguns dos destaques da feira.

A Feira Viva, em sua 2ª edição, teve como meta fortalecer as relações entre quem consome e quem produz. O evento se baseou em quatro conceitos: regionalidade, meio ambiente, gastronomia e empoderamento do produtor rural. Se a agricultura de grande escala conseguiu ser autossuficiente, os pequenos e médios produtores enfrentam dificuldades, principalmente para acessarem o mercado.

O produtor rural Patrick Assumpção, um dos idealizadores da feira, diz que o evento se apoia no fator cultural para valorizar os alimentos. “A gente sempre se espelha no que é de fora, mas se esquece que nós também temos. Precisamos nos apoderar da nossa cultura e fazer com que nosso produto seja mais consumido e valorizado”.

Os produtos levados foram escolhidos por terem apelo regional e identidade única, explica a engenheira agrônoma Keila Malvezzi, uma das responsáveis pela seleção dos produtores rurais. “Tudo aqui tem um diferencial, tradições alimentares e uma questão cultural”, diz. “Muitas vezes, a agricultura foca só no aumento da produção, mas aqui eles levam em conta também as qualidades nutricionais”.

Millho vermelho, um dos destaques da feira. Foto: Reprodução/Feira Viva

João Adrien Fernandes, diretor da Sociedade Rural Brasileira, uma das apoiadoras do evento, diz que a feira busca abrir espaço para os produtores rurais. “Aproximar o urbano do rural é o nosso desafio”.

O projeto da Feira Viva prevê quatro edições por ano, uma em cada estação. A próxima será em outubro.

Queijos premiados de diversas regiões chamaram atenção dos consumidores. Foto: Reprodução/Feira Viva

Fonte: Estadão, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Share
Published by
Equipe BeefPoint
Tags: Feira Viva

Recent Posts

Depois do AgroTalento, conheço meu faturamento e meus custos

Tarso Lang é natural de Santiago e é engenheiro agrícola.. Sua fazenda se localiza no município de Itacurubi. Sua relação… Read More

19 de fevereiro de 2020

Minerva Foods lucrou R$ 243 milhões no quarto trimestre

Impulsionada pela forte demanda asiática - especialmente da China -, a Minerva Foods reportou ontem um lucro líquido de R$… Read More

19 de fevereiro de 2020

Relatório do INAC mostrou que 18 de 25 frigoríficos uruguaios tiveram perdas em 2019

Em uma reunião tripartida realizada quinta-feira entre a indústria frigorífica e a Federação dos Trabalhadores da Carne e Afins (Foica),… Read More

19 de fevereiro de 2020

Crescente comércio de carne bovina da América do Sul tropeça por coronavírus

Os exportadores de carne da América do Sul, entre os maiores beneficiários de uma doença que mata porcos na China,… Read More

19 de fevereiro de 2020

Maturatta Friboi protagoniza churrasco que entra para o Guinness Book

Vinte e três mil porções de carne bovina servidas em oito horas. Essa é a marca que levou o BBQ… Read More

19 de fevereiro de 2020

JBS anuncia acordo para aquisição da Empire Packing nos Estados Unidos

A JBS S.A. comunicou que sua subsidiária indireta JBS USA celebrou um acordo de aquisição de participação acionária com a… Read More

19 de fevereiro de 2020