Mapa cria conselho para minimizar impactos da pandemia na agropecuária
23 de fevereiro de 2021
Oscilações de preços no curto prazo afetam gestão de frete
24 de fevereiro de 2021

Federação Rural do Uruguai rechaça ideias de Bill Gates

A Federação Rural do Uruguai, representante do universo da pecuária do país, através dos seus quase 50 federados e 105 anos de existência, rejeitou categoricamente as ideias de Bill Gates a respeito da chamada “carne artificial” e endossa as palavras do presidente do Nacional Instituto de Carne Ing. Agr. Fernando Mattos.

O Uruguai é um país pequeno tanto em área como em população, cuja realidade indica que, para todos os principais setores agrícolas, a maior parte do que se produz é exportado, sendo a menor parte consumida no mercado interno.

“Destaca-se a carne produzida a céu aberto a pasto, com excelentes práticas de bem-estar animal e com balanço de carbono que muitos estudos mostram positivo, ou seja, favorável aos interesses ambientais”, disse o sindicato por meio de nota.

Esse item “é responsável por exportações da ordem de US $ 2 bilhões e 530 mil toneladas por ano (média de 2017 a 2020)”, observou o sindicato. Acrescenta no comunicado que “permite o consumo de cerca de 200 mil toneladas de carnes nacionais com preço e qualidade adequados. Isso significa bem-estar para os setores agrícola, de transporte, de frigorífico, portuário, governamental – por meio de impostos pagos – e popular, por meio do repasse dos mesmos.

Ele acrescentou que “a defesa da carne, como produto legítimo e a não utilização do nome para manipulações genéticas ou cultivos de laboratório, é vital para a defesa do país”.

Fonte: El País Digital, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *