Categories: Giro do Boi

FAO adverte para maiores riscos de doenças relacionadas ao aumento da produção de carnes

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) advertiu sobre o ressurgimento ou aparição de doenças relacionadas com a produção de carne e outros produtos de origem animal. A agência da ONU ressaltou que o aumento na demanda levou ao aumento da produção que, em algumas áreas, não atendem às normas sanitárias adequadas. O alerta foi dado no momento de um forte ressurgimento de casos de gripe aviária na Ásia e Europa, bem como de outras doenças relacionadas com a produção animal.

O foco de técnicos da FAO é na crescente demanda por proteína animal no leste e sudeste da Ásia. De acordo com estatísticas da FAO, nos últimos 50 anos, o consumo de carne no leste da Ásia aumentou mais de 500%. Em meados da década de 1960, o consumo per capita nessa região era de 8,7 quilos, passando para 50 quilos em 2015. A agência espera que até meados deste século a demanda per capita vai aumentar mais 15%.

“A demanda por produtos de carne está levando a indústria a ter essa oferta pronta para ser comprada nos mercados, mas há riscos associados a isso”, disse o diretor e chefe de veterinária da FAO, Juan Lubroth, em uma conferência regional da organização da Ásia e Pacífico.

Ele disse que uma parte importante do crescimento da oferta de animais tem ocorrido sem regulamentações. De modo que “os sistemas para garantir a sanidade dos alimentos, proteger animais e humanos junto com a prevenção de doenças conhecidas e outras não têm sido bem direcionados. A fraqueza nos sistemas mostrou suas consequências com a propagação de doenças novas ou já existentes”.

Mais de 70% de todas as doenças transmissíveis aos seres humanos estão relacionadas com zoonoses. “Como a produção animal para consumo humano aumenta no leste da Ásia, também aumenta a ameaça de novos agentes patogênicos que podem se espalhar entre as pessoas e animais através das fronteiras antes que os sintomas comecem a aparecer”, concluiu o FAO.

Fonte: El Observador, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 20 de fevereiro de 2017

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

FAO: apesar da pandemia, produção mundial de carnes recua apenas meio por cento em 2020

No segundo Food Outlook do corrente exercício, ontem divulgado, a FAO estima que a produção… Read More

27 de novembro de 2020

Ministra da agricultura da Alemanha pede que frigoríficos trabalhem horas extras para escoar animais alojados em fazendas

A ministra da Agricultura da Alemanha pediu na sexta-feira (27) que os frigoríficos trabalhem nos finais… Read More

27 de novembro de 2020

Produtos agropecuários respondem por 21% da movimentação dos portos brasileiros

A participação dos produtos agropecuários na movimentação de cargas nos portos brasileiros passou de 16%… Read More

27 de novembro de 2020

IGC reduz estimativa para a produção globalde grãos em 2020/21

O Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês) reduziu em 7 milhões de… Read More

27 de novembro de 2020

Câmbio e demanda externa pressionam alimentos, que pesam em preços ao produtor

A alta de 3,4% no Índice de Preços ao Produtor (IPP) em outubro foi fortemente… Read More

27 de novembro de 2020

China beneficia operações de Marfrig e JBS também nos EUA

O indicador de margem bruta da indústria de carne bovina dos EUA chamou a atenção… Read More

27 de novembro de 2020