Categories: Giro do Boi

Falta de boi para abate é o problema da pecuária de MS hoje, diz secretário

A falta de bovinos prontos para o abate é o grande problema do setor frigorífico atualmente em Mato Grosso do Sul e um dos principais fatores que levaram ao fechamento de 16 plantas em todo o estado nos últimos dois anos, de acordo com o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico do estado, Jaime Verruck.

Verruck lembrou que em 2008 houve um grande abate nas matrizes do estado, o que fez com que os produtores tivessem dificuldades para recompor o rebanho e trouxe como reflexo a falta de animais em condições de serem abatidos para abastecer a indústria frigorífica local. “Todas as plantas do estado estão trabalhando como ociosidade. Em 2014, foram 300 mil animais a menos em condições de serem abatidos no estado e este ano o número deve cair ainda mais”.

O secretário apontou ainda que o fechamento de unidades frigoríficas nos últimos anos não tem, em sua avaliação, correlação com a queda de demanda e citou como exemplos a abertura de novos mercados externos para a carne brasileira e sul-mato-grossense, como os Estados Unidos e a China e a ampliação dos já existentes, como o da Rússia, por exemplo.

O secretário disse que neste cenário, em que ocorre falta de animais prontos para o abate e que o preço da arroba se valoriza cada vez mais, os criadores têm retido as matrizes, em razão do valor dessas fêmeas e para fazer a recomposição dos rebanhos e que a tendência no segundo semestre deste ano é a situação do setor não melhorar.

“Estamos com uma capacidade instalada de abates muito superior à capacidade de fornecimento de animais para estes abates. Então vai haver a médio e longo prazo um ajuste. O estado não deve retomar os volumes de abates nos patamares anteriores. A tendência hoje é de uma realocamento desses abates, da concentração em algumas unidades. Estamos conversando com algumas empresas e quando a quantidade de animais à disposição aumentar a tendência é que algumas delas até mesmo retomem as atividades, mas não todas”, ressaltou.

Fonte: G1, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 21 de julho de 2015

Share

Recent Posts

Delivery sustenta as vendas na área de alimentação

Sobreviver com portas fechadas era um desafio impensável para as franquias de alimentação, um dos… Read More

30 de novembro de 2020

Agricultura de precisão eleva ganho do produtor

Tecnologias turbinadas por inteligência artificial (IA) estão aumentando a produtividade do agronegócio brasileiro, único setor… Read More

30 de novembro de 2020

Brasil amplia liderança no ranking mundial de superávits agrícolas

O Brasil se consolidou nos últimos 25 anos como o maior exportador líquido (diferença entre… Read More

30 de novembro de 2020

Mapa reforça condutas éticas com programa de integridade

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em parceria com a Escola Nacional de… Read More

30 de novembro de 2020

Registro de defensivos agrícolas de controle biológico chega a 76 e bate recorde em 2020

O Ato n° 65 do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária,… Read More

30 de novembro de 2020

Presidente da FPA entende que aprovação do PL da Recuperação Judicial é “grande vitória para o agro”

Foi aprovado no Senado Federal o Projeto de Lei nº 6303/2019, que altera a Lei… Read More

30 de novembro de 2020