Fala Carlão: Os pecuaristas e suas visões de futuro

O Carlão da Publique, do programa Fala Carlão! participou do evento Encontro Estratégico BeefPoint: Pecuária no Longo Prazo, realizado em março desse ano. O evento faz parte do Aliança AgroTalento, que é um grupo de mastermind, e reuniu diversos profissionais da pecuária para discutir o tema: pecuária de longo prazo.

Durante o evento Carlão entrevistou uma série de participantes, começando pelo CEO do BeefPoint e do AgroTalento, Miguel Cavalcanti, que idealizou e organizou o encontro.

“Esse é um modelo de evento que a gente faz desde 2015, que é um modelo que trouxe dos EUA, tem alguns grupos aqui no Brasil, chama mastermind, ou mente mestra, que é você reunir um número pequeno de pessoas muito qualificadas e trabalhar de uma forma muito intensa nesse dia para uma troca de experiência, para que cada cabeça se conecte uma com a outra”, disse Miguel.

“Então, aqui não tem 22 pessoas, tem um grupo de conhecimento, uma massa de sabedoria que está trabalhando o tempo todo, um ajudando, construindo, em cima do que cada um comenta, compartilha e traz de informações. E a gente tem esse grupo de mastemind que chama Aliança AgroTalento que tem três reuniões de dois dias por ano, em que a gente discute desafios específicos de cada um desses membros.”

“Além disso, eu sempre estou atento para assuntos importantes e relevantes para esse grupo e para a pecuária e a gente faz dias especiais, dias extras conectados nesses encontros de dois dias.”

“A gente tem esse grupo de mastemind que chama Aliança AgroTalento que tem três reuniões de dois dias por ano, em que a gente discute desafios específicos de cada um desses membros. Além disso, a gente faz dias especiais, dias extras conectados nesses encontros de dois dias.” (Miguel Cavalcanti)

Em seguida, Carlão entrevistou entrevistou o pecuarista Humberto Tavares, que tem 31 anos de pecuária.

“Eu conheço o Miguel de longa data e sei que ele tem esse programa AgroTalento e esse é um dos eventos desse programa. Ele chamou pessoas que ele conhece e considera de longa data para que a gente trouxesse reflexões sobre o que a gente tem feito na vida, tentar sumarizar um pouco e tentar extrair, fazer um extrato daquilo que de mais importante  ocorreu conosco, na nossa experiência, e que a pessoa pudesse analisar esses resultados e, de alguma maneira trazer para a consciência deles e ver se isso é legal, se bate com o que eles estão fazendo ou estão planejando fazer”, disse Humberto.

“Então, acho que é um evento de pensar essa pecuária que a gente evoluiu e tentar projetar um pouquinho do que vai acontecer no futuro.”

“Sou uma pessoa, por necessidade da minha evolução pessoal e as condicionantes que me trouxeram até aqui, a questão familiar, a questão de ser uma empresa de múltiplos donos, trouxe comigo um conservadorismo muito grande e isso é muito bom, porque nos permitiu evitar botar tudo a perder e prejudicar esse patrimônio, mas ao mesmo tempo, eu sinto também que a modernidade, o futuro, nos exige algumas mudanças, algumas intensificações maiores”, continuou Humberto.

“Então, os comentários que surgiram com relação a isso considero que são justos, mas, ao mesmo tempo, estou me preparando para isso também. Por exemplo, a questão da integração da lavoura pecuária, a questão de nutrição mais intensiva, manejo de pastagens, você ter a intensificação da pecuária em si, com a IATF, e todas as tecnologias que a gente tem hoje em dia. Então, tudo isso faz parte dessa nova pecuária que a gente está participando e vamos procurar passar isso para as próximas gerações,” concluiu Humberto.

“Sinto que a modernidade, o futuro, nos exige algumas mudanças, algumas intensificações maiores. Estou me preparando para isso.” (Humberto Tavares)

A próxima entrevistada foi Teka Vendramini, primeira mulher diretora da Sociedade Rural Brasileira.

“É uma honra ser a primeira mulher com um cargo executivo. Tem que fazer um bom trabalho lá para deixar um legado, uma coisa bem feita. Que venham as outras mulheres.”

“Aqui [no evento] só tem craque, só tem fera. Escutar de pecuária desse povo que está aqui, grandes produtores, um pessoal que tem um trabalho de ponta, dentro dessa sala hoje está a nata.”

Sobre a baixa representatividade de mulheres no setor de agro que ainda acontece, Teka disse que “grandes empresas fora do agronegócio já têm uma preocupação muito grande e estão formando trabalhos só de mulheres dentro das empresas. Acho que é uma preocupação mundial isso. No Brasil, no agro, é um caminho, as mulheres apareceram muito, elas estão aí, você vê.”

“No ano passado, participei de mais de 15 encontros de mulheres pelo Brasil, é muita coisa! Esse mês, estou indo para a Universidade Federal do Paraná para falar com as formandas, as meninas da Agronomia, Veterinária, Zootecnia, então, está existindo esse chamado, não só comigo, mas de algumas outras referências de outras mulheres, porque as mulheres estão escolhendo estar no agronegócio. Além das que já estão aí, tem essa moçada que está querendo estar junto, participar junto conosco do nosso caminho.”

“Está existindo esse chamado, não só comigo, mas de algumas outras referências de outras mulheres, porque as mulheres estão escolhendo estar no agronegócio.” (Teka Vendramini)

O próximo entrevistado foi o pecuarista Sérgio Arantes.

Sobre o evento, ele disse: “Isso aqui a gente aprende muita coisa boa e o que ele tem trazido são coisas que você pensa e procura fazer, levar, ensinar e ensinando você está aprendendo com essa turma toda que você vai passando para frente.”

Sérgio, que é da quarta geração de produtores rurais, já tem filhas (quinta geração) e um neto (sexta geração). Em relação à sucessão, ele disse: “Isso tem que levar desde novo, criança para a fazenda. Levando, eles gostam da fazenda. Depois tem uma idade que eles vão estudar, vão sair, mas sabem o que é um boi, uma vaca, aprende, e vêm com essas tecnologias novas para serem implantadas.”

“Tem que levar desde novo, criança para a fazenda. Levando, eles gostam da fazenda. Depois tem uma idade que eles vão estudar, vão sair, mas vêm com essas tecnologias novas para serem implantadas.” (Sérgio Arantes)

Confira o programa abaixo:

Fonte: Programa Fala Carlão!, adaptado pela Equipe BeefPoint.

Uma opinião sobre “Fala Carlão: Os pecuaristas e suas visões de futuro”

  • Alessandra Queiroz - 23/07/2018

    Qual a previsão de preço da @ em dezembro, janeiro de 2019.

Os comentários estão encerrados.


ou utilize o Facebook para comentar