Imposto sobre a carne está sendo avaliado na Holanda
24 de maio de 2022
Sem aval do Tesouro, crédito rural com subsídio segue paralisado
25 de maio de 2022

Reveja a entrevista de Fala Carlão com Humberto Tavares: “precisa convencer a sociedade que a gente não é o bandido”

Reveja a entrevista realizada pelo programa Fala Carlão com o pecuarista Humberto Tavares, no evento Encontro Estratégico BeefPoint: Pecuária no Longo Prazo. Humberto faleceu no dia 26 de fevereiro, em São Paulo, em consequência de complicações pela Covid-19, aos 64 anos.

Natural de Ribeirão Preto (SP), Humberto formou-se engenheiro pela Universidade de São Paulo (USP). Selecionador criterioso da raça Nelore, capitaneava desde 1989 a Fazenda Sucuri, em Itapirapuã (GO), utilizando as mais modernas ferramentas de melhoramento genético em seu plantel PO, como a ultrassonografia de carcaça, sempre buscando a eficiência e a qualidade na produção de carne a pasto.

A genética do conceituado criatório goiano foi disseminada pelo País por centrais de inseminação e através de concorridos leilões, reunindo a oferta de matrizes e touros avaliados pelo Geneplus Embrapa e PMGZ, e que incorporavam padrão racial, funcionalidade e produtividade.

Além do trabalho de excelência em sua fazenda, Humberto também se dedicou pela evolução da pecuária de corte nacional, dando grande contribuição ao setor como membro fundador do grupo Provados a Pasto e da Confraria da Carcaça Nelore, que no ano passado se tornou a Associação da Confraria da Carcaça Nelore (ACCN).

Confira aqui a homenagem que Miguel Cavalcanti, CEO do BeefPoint e do AgroTalento, fez a ele: O que aprendi com o saudoso Humberto Tavares.

Entrevista

Durante a entrevista, Humberto falou um pouco sobre sua carreira e seu negócio:

“Sou uma pessoa por necessidade da minha evolução pessoal e as condicionantes que me trouxeram até aqui, como questão familiar, de ser uma empresa de múltiplos donos, trouxe comigo um conservadorismo muito grande e isso foi muito bom, porque nos permitiu evitar botar tudo a perder e prejudicar esse patrimônio, mas ao mesmo tempo, sinto que a modernidade, o futuro, nos exige algumas mudanças, algumas intensificações maiores. Estou me preparando para isso”, disse ele, citando fatores como integração lavoura-pecuária, nutrição, entre outras tecnologias.

“Um dos pontos importantes da pecuária é que a gente precisa de profissionais da comunicação, porque a gente é um mau comunicador e  , é o mocinho da história. Mas para falar isso, não adianta entrar em polêmica, você tem que ter a comunicação profissional, a união da classe, delegar isso às pessoas capazes de falar essa linguagem”, finalizou ele.

Confira a entrevista:

 

Fonte: Fala Carlão.

Fonte: AgroTalento, Fala Carlão e Portal DBO.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.