Categories: Giro do Boi

Exportações japonesas de carne bovina para os EUA devem expandir

O Japão e os Estados Unidos concordaram em eliminar uma cota anual de 200 toneladas para as exportações japonesas de carne bovina sob um novo acordo comercial bilateral alcançado em princípio.

Pelo acordo, a carne bovina japonesa estaria sujeita a uma cota diferente, abrindo a possibilidade de as exportações para os Estados Unidos se expandirem significativamente.

Com a popularidade da carne japonesa nos Estados Unidos aumentando em meio a um boom na culinária japonesa, as exportações deverão aumentar ainda mais no futuro.

Atualmente, existe uma cota tarifária de 200 toneladas por ano para carne importada do Japão para os Estados Unidos.

Uma tarifa de 4,4 centavos de dólar dos EUA (cerca de ¥ 5) por quilograma é cobrada sobre as exportações dentro da cota. Dependendo do preço da carne bovina, isso pode representar uma tarifa de menos de 1%.

Uma tarifa de 26,4% é aplicada às exportações de carne bovina acima da cota.

Os negociadores concordaram em abandonar a cota de 200 toneladas e colocar o Japão em uma categoria que exclui os principais países produtores de carne bovina, como Austrália, Nova Zelândia e Canadá, disseram fontes.

O Japão e outros países da categoria seriam capazes de exportar um total combinado de cerca de 64.000 toneladas de carne bovina para os Estados Unidos por ano, sob a tarifa de 4,4 centavos de dólar por quilograma.

As exportações de carne japonesa para os Estados Unidos cresceram nos últimos anos. Em 2015, as exportações excederam a cota de 200 toneladas, atingindo 206 toneladas. Em 2018, o Japão exportou um recorde de 421 toneladas de carne bovina para os Estados Unidos. As exportações de carne bovina em 2019 haviam excedido o limite de tarifas em março.

Os Estados Unidos concordaram com uma cota inicial isenta de impostos de 3.000 toneladas de carne bovina exportada do Japão para os Estados Unidos sob o pacto pacto comercial da Parceria Transpacífica, que deveria ser gradualmente expandido até o 15º ano do acordo, quando todas as tarifas deveriam ser abolidas. No entanto, isso nunca foi realizado depois que os Estados Unidos se retiraram do pacto.

O Japão concordou em reduzir gradualmente sua tarifa de 38,5% da carne bovina dos EUA para 9%, aproximadamente a mesma que a imposta às importações de países sob o TPP revisado.

Uma “salvaguarda” de emergência que manteria as importações dentro de um certo intervalo também será estabelecida para proteger os produtores domésticos de um aumento acentuado nas importações, disseram as fontes.

Fonte: Asia News Network, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was last modified on 16 de setembro de 2019 12:27

Share
Published by
Equipe BeefPoint
Tags: eua

Recent Posts

Sucessão familiar: apenas substituir não vai dar certo na fazenda

Por que apenas substituir seu pai, avô ou tio não dá certo na sucessão familiar? O primeiro motivo é que,… Read More

24 de janeiro de 2020

Wendy’s avança em iniciativas de bem-estar animal

Em 2019, a The Wendy's Co. combinou seus esforços contínuos de responsabilidade corporativa sob uma bandeira unificada chamada “Good Done… Read More

24 de janeiro de 2020

China no chão: demanda por carne bovina caiu mais rápido do que subiu

Como geralmente acontece quando há subidas meteóricas, como as que ocorreram nos preços de importação da China entre maio e… Read More

24 de janeiro de 2020

CEPEA: Cotações da carne e do boi gordo recuam na parcial de janeiro

Os preços da carne bovina estão em queda no mercado atacadista. Além da pressão vinda do típico enfraquecimento da demanda… Read More

24 de janeiro de 2020

Minerva precifica oferta de ações a R$ 13 e capta R$ 1 bilhão

A Minerva Foods, maior exportadora de carne bovina da América do Sul, precificou hoje a oferta de ações a R$… Read More

24 de janeiro de 2020

Assista Aula Grátis "As 7 Estratégias do Lucro em Fazendas"

Quero Assistir