Exportações japonesas de carne bovina para os EUA devem expandir

O Japão e os Estados Unidos concordaram em eliminar uma cota anual de 200 toneladas para as exportações japonesas de carne bovina sob um novo acordo comercial bilateral alcançado em princípio.

Pelo acordo, a carne bovina japonesa estaria sujeita a uma cota diferente, abrindo a possibilidade de as exportações para os Estados Unidos se expandirem significativamente.

Com a popularidade da carne japonesa nos Estados Unidos aumentando em meio a um boom na culinária japonesa, as exportações deverão aumentar ainda mais no futuro.

Atualmente, existe uma cota tarifária de 200 toneladas por ano para carne importada do Japão para os Estados Unidos.

Uma tarifa de 4,4 centavos de dólar dos EUA (cerca de ¥ 5) por quilograma é cobrada sobre as exportações dentro da cota. Dependendo do preço da carne bovina, isso pode representar uma tarifa de menos de 1%.

Uma tarifa de 26,4% é aplicada às exportações de carne bovina acima da cota.

Os negociadores concordaram em abandonar a cota de 200 toneladas e colocar o Japão em uma categoria que exclui os principais países produtores de carne bovina, como Austrália, Nova Zelândia e Canadá, disseram fontes.

O Japão e outros países da categoria seriam capazes de exportar um total combinado de cerca de 64.000 toneladas de carne bovina para os Estados Unidos por ano, sob a tarifa de 4,4 centavos de dólar por quilograma.

As exportações de carne japonesa para os Estados Unidos cresceram nos últimos anos. Em 2015, as exportações excederam a cota de 200 toneladas, atingindo 206 toneladas. Em 2018, o Japão exportou um recorde de 421 toneladas de carne bovina para os Estados Unidos. As exportações de carne bovina em 2019 haviam excedido o limite de tarifas em março.

Os Estados Unidos concordaram com uma cota inicial isenta de impostos de 3.000 toneladas de carne bovina exportada do Japão para os Estados Unidos sob o pacto pacto comercial da Parceria Transpacífica, que deveria ser gradualmente expandido até o 15º ano do acordo, quando todas as tarifas deveriam ser abolidas. No entanto, isso nunca foi realizado depois que os Estados Unidos se retiraram do pacto.

O Japão concordou em reduzir gradualmente sua tarifa de 38,5% da carne bovina dos EUA para 9%, aproximadamente a mesma que a imposta às importações de países sob o TPP revisado.

Uma “salvaguarda” de emergência que manteria as importações dentro de um certo intervalo também será estabelecida para proteger os produtores domésticos de um aumento acentuado nas importações, disseram as fontes.

Fonte: Asia News Network, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar