Ministra holandesa pede imposto de sustentabilidade sobre alimentos, mas será que vai pegar?
14 de fevereiro de 2022
É hoje a aula 1 da Maratona Jornada Lucrativa. Venha assistir, é online e gratuito!
15 de fevereiro de 2022

Exportações de carne bovina dos EUA ultrapassaram US$ 10 bilhões pela primeira vez

As exportações de carne bovina dos EUA superaram em muito os recordes anteriores de volume e valor em 2021, ultrapassando US$ 10 bilhões pela primeira vez, de acordo com dados de final de ano divulgados pelo USDA e compilados pela Federação de Exportação de Carne dos EUA (USMEF).

As exportações de carne bovina em dezembro totalizaram 121.429 toneladas, um aumento de 1% em relação ao ano anterior, enquanto o valor subiu 33%, para US$ 991,8 milhões – o terceiro maior mês já registrado. Esses resultados elevaram o volume de 2021 para 1,44 milhão de toneladas, um aumento de 15% em relação ao ano anterior e 7% acima do recorde anterior estabelecido em 2018. O valor das exportações subiu para US$ 10,58 bilhões, um aumento de 38% em relação a 2020 e quebrando o recorde anterior estabelecido em 2018 em 27 %.

“Os resultados das exportações de carne bovina são realmente notáveis, especialmente considerando os obstáculos relacionados ao COVID no setor global de serviços de alimentação e todos os desafios logísticos e do lado da oferta enfrentados pela indústria dos EUA. Obviamente, nossos grandes mercados asiáticos foram responsáveis ​​por grande parte do crescimento, mas realmente é preciso uma demanda global ampla para atingir esses níveis impressionantes. Portanto, essa história de sucesso não é apenas sobre a Coreia, Japão e China – mas também um forte desempenho em Taiwan, excelente crescimento na América Central e do Sul e uma recuperação no México e no Sudeste Ásia”, disse o presidente e CEO da USMEF, Dan Halstrom. Três principais destinos respondem por mais de 60% da receita das exportações de carne bovina.

O Japão continuou sendo o principal destino de volume para as exportações de carne bovina dos EUA em 2021, com 320.737 toneladas, um aumento de 5% em relação a 2020 e o segundo maior da era pós-BSE. O valor das exportações subiu 22% para um recorde de US$ 2,376 bilhões, mas terminou em segundo lugar para a Coreia do Sul. A indústria dos EUA continua preocupada com a proteção de importação do Japão, que resultou em uma tarifa mais alta imposta à carne bovina dos EUA no final de março e início de abril do ano passado. Sem um ajuste no limite de salvaguarda, um cenário semelhante é possível em 2022 e altamente provável nos próximos anos.

As exportações de carne bovina para a Coreia totalizaram 280.143 toneladas, um aumento de 14% e superando o recorde anterior estabelecido em 2019. O valor das exportações subiu 38% para US$ 2,382 bilhões – não apenas um recorde para a Coreia, mas o maior valor alcançado em qualquer destino. A crescente demanda da Coreia por carne bovina dos EUA foi impulsionada em grande parte pelo crescimento no setor de varejo, tanto em locais tradicionais de varejo quanto em plataformas de comércio eletrônico. A carne bovina dos EUA também continua se beneficiando da eliminação gradual das tarifas de importação da Coreia, já que a taxa tarifária sob o Acordo de Livre Comércio Coréia-EUA (KORUS) caiu para 10,7% em 2022, abaixo dos 40% anteriores à implementação do TLC.

Capitalizando os ganhos de acesso ao mercado incluídos no Acordo Econômico e Comercial da Fase Um EUA-China, as exportações de carne bovina para China/Hong Kong também ultrapassaram a marca de US$ 2 bilhões em US$ 2,09 bilhões, um aumento de 114% em relação a 2020, enquanto o volume subiu 87% para 240.827 toneladas . As exportações diretas para a China, que começaram a ganhar força significativa em meados de 2020, aumentaram 346% em volume (190.803 toneladas) e 413% em valor (US$ 1,59 bilhão). A carne bovina dos EUA representou 6% do total de importações da China em volume e 11% em valor. A carne bovina produzida com grãos agora responde por cerca de 11% das importações da China, com os EUA como o maior fornecedor, fornecendo aproximadamente 68% das importações da China produzida com grãos.

Fonte: Euromeat, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Os comentários estão encerrados.