Categories: Entrevistas

“É importante trabalhar com a ‘quebra de paradigmas’ e mudança de comportamento” – Carla Ferrarini [Prêmio BeefPoint Bem-estar Animal]

O BeefPoint realizará um grande evento – BeefSummit Bem-estar Animal – no dia 8 de maio de 2014, no Centro de Convenções do Ribeirão Shopping, na cidade de Ribeirão Preto/SP.

O evento terá a participação especial de Temple Grandin – pesquisadora que é referência mundial em bem-estar animal, também terá palestras inovadoras, com o Prof. Mateus Paranhos da Costa e pecuaristas que são referência nas práticas de bem-estar animal no Brasil.

Estes profissionais irão compartilhar casos de sucesso e aprendizados nesta área que cresce, a cada dia, dentro da cadeia produtiva da carne. E para fechar o dia com chave de ouro realizaremos a entrega do Prêmio BeefPoint 2014 – Edição Bem-estar Animal, que irá homenagear pecuaristas, profissionais, vaqueiros e pesquisadores que são referência em BEA no Brasil.

O público escolherá por meio de votação online, o vencedor de cada categoria. Assim, para você – leitor BeefPoint – conhecer melhor os indicados, nós preparamos uma entrevista com cada um deles!

Conheça Carla Ferrarini, finalista na categoria Profissional Referência em Bem-estar Animal.

Carla Ferrarini é zootecnista formada na Unesp – Botucatu/SP e mora atualmente em Paragominas/PA, onde coordena o Projeto Pecuária Verde que é financiado pelo Fundo Vale e Dow AgroScience com o objetivo de criar um modelo de pecuária sustentável na região. Assim, seu trabalho é coordenar os pilares do projeto, que são: ambiental, intensificação de pastagens e bem-estar animal, bem como os resultados e impactos dos mesmos nas propriedades, no município e estado do Pará.

BeefPoint: O que você implementou de diferente no trabalho de difusão dos conceitos em bem-estar animal – de forma técnica?

Carla Ferrarini: Sempre uso os conceitos de bem-estar animal embasados em pesquisas e nas experiências vividas em outras fazendas, assim a aceitação pelos pecuaristas se torna mais fácil. Além disso é importante trabalhar com a “quebra de paradigmas” e mudança de comportamento, fazendo-os perceber que o manejo racional nada mais é que ação com conhecimento, cujos benefícios são muitos.

Assim, os trabalhos são feitos sempre com a prática em conjunto e com os ensinamentos sobre o comportamento e reações dos animais que estamos trabalhando, quando entendemos eles nosso trabalho se torna mais fácil.

BeefPoint: Qual a aceitabilidade dos pecuaristas quanto a adoção de novas técnicas de manejo em suas propriedades, principalmente as focadas no manejo racional?

Carla Ferrarini: A aceitação foi muito positiva, lógico que algumas pessoas apresentam mais resistências que outra, mas isso é considerado normal quando apresentamos uma forma de trabalhar diferente do “comum” ou o que eles julgam “comum”.

Dentro do projeto tivemos mudanças instantâneas e hoje podemos dizer que todos pensam, conhecem e sabem trabalhar com os bovinos de forma racional e investem no bem-estar da fazenda. Esse termo é mais que o bem-estar animal, e sim a junção do bem-estar do animal e do colaborador que esta ali presente, tornando o ganho, para ambos, muito maior e a relação humano-animal estreitada.

BeefPoint: Quais as técnicas e argumentos você utiliza para convencer  o seu cliente que o bem-estar animal é algo que faz a diferença em todo o ciclo da cadeia produtiva da carne?

Carla Ferrarini: O importante é apresentar os conceitos.

BeefPoint: Qual o perfil de pecuarista que procura pelo seu serviço?

Carla Ferrarini: Aquele que quer mudar o manejo na fazenda e não sabe como, que muitas vezes sabe que não esta fazendo o correto e precisa de ajuda, bem como aquele que tem a cabeça mais aberta para novos conhecimentos e/ou ainda os que vivenciaram mudanças positivas nas fazendas vizinhas ou de amigos.

BeefPoint: Como você descreveria sua linha de trabalho? Como o bem-estar se integra nisso? O que vem lhe trazendo mais resultados?

Carla Ferrarini: Comecei a trabalhar com bem-estar animal ainda na faculdade, depois me integrei ao Grupo ETCO coordenado pelo professor Mateus Paranhos da Costa e entrei para a consultoria, com os treinamentos em fazendas de gado de corte e leite, sendo que a partir dai que eu descobri a minha verdadeira paixão em entender os animais e poder melhorar a relação e vida deles com os colaboradores.

Depois parti para os treinamentos nos frigoríficos de aves, suínos e bovinos sendo supervisora de bem-estar animal da WSPA no programa Steps onde consegui aprender muito sobre a cadeia como um todo e ter muitas oportunidades de cursos e treinamentos com os melhores em bem-estar animal do mundo.

Logo em seguida, resolvi enfrentar uma missão maior, que era de coordenar um projeto por inteiro e me interar na tal “sustentabilidade” tão falada no momento. Assim descobri, na verdade, reforcei minha paixão pela atividade pecuária e a vontade de fazer diferente.

Posso dizer com toda a certeza, que o bem-estar animal sempre esteve presente e cada vez mais forte e enraizado nos trabalhos que executei.

BeefPoint: Qual inovação e/ou novidade no setor você mais gostou dos últimos anos? O que estamos precisando inovar?

Carla Ferrarini: A divulgação do bem-estar animal e técnicas de manejo racional pela mídia ajudou e ajuda muito o nosso trabalho, pois os pecuaristas ficam curiosos e muitos nos procuram após ver reportagens, matérias e entrevistas.

BeefPoint: Quais seus planos em 2014?

Carla Ferrarini: Meu plano é terminar o projeto Pecuária Verde e deixar um “legado” para a pecuária de corte,  mostrando que é possível produzir com ética e respeito e que a atividade pecuária só tem a melhorar.

BeefPoint: Qual o maior desafio da pecuária brasileira hoje?

Carla Ferrarini: Mostrar que  quem consegue produzir sem agredir o meio ambiente, consegue produzir muito, sem desmatar e sem ter problemas trabalhistas, etc. Ou seja, é preciso desmistificar que a pecuária é vilã de tudo.

BeefPoint: Qual o exemplo de profissional dessa área você mais admira?

Carla Ferrarini: Ao longo da minha experiência, conheci muitos profissionais renomados na área de bem-estar animal, mas tenho uma forte admiração pelo professor Mateus Paranhos da Costa.

Mateus tem uma visão diferenciada, consegue enxergar as coisas além das pesquisas e dá muita atenção a experiência vivida pelos pecuaristas mais velhos, isso me encanta bastante.

BeefPoint: Qual seu recado para os pecuaristas?

Carla Ferrarini: A pecuária já está em processo de transformação e quem não se adequar não irá conseguir mais viver da atividade. Pois, hoje em dia temos que produzir com qualidade, ética e respeito, não só com os colaboradores e animais, mas com todos os envolvidos no processo.

Assim, o pecuarista tem que entender sua fazenda como uma empresa, a qual deve gerar resultados mas, exige muito trabalho e responsabilidade.

Conheça melhor o BeefSummit Bem-Estar Animal!

This post was published on 4 de maio de 2014

Share

Recent Posts

China pede correções após inspeções em frigoríficos

A auditoria remota feita por autoridades chinesas em frigoríficos brasileiros que estão com as vendas… Read More

22 de outubro de 2020

Ipea eleva estimativa para o crescimento do PIB da agropecuária

A produção recorde de soja na safra 2019/20 e a confirmação de colheitas robustas de… Read More

22 de outubro de 2020

Inmet lança aplicativo com informações meteorológicas para o setor agrícola

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) lançou a versão do aplicativo SISDAGRO (Sistema de Suporte… Read More

22 de outubro de 2020

Produção sustentável nas metrópoles

Exposta pela greve dos caminhoneiros de 2018 e, em todas as suas cores, pela atual… Read More

22 de outubro de 2020

Fazendas urbanas conquistam consumidor

As fazendas urbanas estão colhendo mais do que ervas e verduras. Quatro operações ouvidas pelo… Read More

22 de outubro de 2020

Aula AO VIVO hoje 19h: As 7 estratégias da fazenda expressão, com lucro e legado

Hoje é a Aula 4: Intensivão AgroTalento: as 7 estratégias da fazenda expressão, com lucro… Read More

22 de outubro de 2020