Categories: Giro do Boi

Dieese: carne e feijão encareceram cesta básica em out

O feijão e a carne foram os grandes vilões da cesta básica nas capitais do País em outubro. Segundo levantamento realizado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o comportamento destes itens foi determinante para o encarecimento das cestas na maioria das 17 capitais pesquisadas no mês passado. No período, enquanto os valores médios do feijão subiram em todas as 17 capitais, a carne ficou mais cara em 16 capitais.

De acordo com o Dieese, os avanços mais significativos do feijão em outubro foram observados em Fortaleza (38,12%), Belo Horizonte (37,12%), São Paulo (35,89%), Belém (32,32%) e João Pessoa (30,68%). Apenas em quatro cidades os aumentos ficaram abaixo de 10%: Curitiba (6,11%), Porto Alegre (5,00%), Florianópolis (3,66%) e Aracaju (0,63%). “A prolongada seca, que provocou o atraso no plantio da safra das águas, e a falta de estoques do produto foram os causadores da alta dos preços”, justificaram os técnicos do Dieese.

Quanto à carne, produto de maior peso no custo da desta básica, a pesquisa do Dieese mostrou que as altas mais expressivas foram verificadas em Florianópolis (8,05%), Rio de Janeiro (6,34%), São Paulo (4,56%) e Belém (4,53%). Já em Vitória (0,90%), Aracaju (0,49%) e Porto Alegre (0,47%) foram registrados os menores aumentos; e a única redução de preços foi anotada em Manaus (-1,35%).

Mais um item que mereceu destaque de alta na cesta de outubro foi o óleo de soja, que encareceu em 14 cidades, com as maiores taxas apuradas em Goiânia (6,33%), Curitiba (5,54%) e Natal (4,98%). O açúcar ficou com preço mais alto em 14 capitais, com destaque para Belo Horizonte (25,00%), Goiânia (17,45%) e Vitória (14,67%). O leite ficou mais caro em 12 capitais, como em Natal (5,56%), Rio de Janeiro (4,33%) e Belo Horizonte (2,07%). Já o pão francês também mereceu atenção, pois subiu de preço em outubro em 11 capitais, com as principais altas apuradas em Goiânia (6,55%), Brasília (4,97%) e Natal (4,23%).

A reportagem é da Agência Estado, resumida e adaptada pela Equipe AgriPoint.

This post was published on 5 de novembro de 2010

Share

Recent Posts

Uruguai estuda protocolo para incluir gado terminado com grãos na Cota Hilton

Membros do setor privado uruguaio e do Poder Executivo estão estudando a possibilidade de solicitar… Read More

8 de julho de 2020

Produção de grãos no país deve chegar a 251,4 milhões de toneladas impulsionada pela colheita de milho e soja

A produção brasileira de grãos deverá ser de 251,4 milhões de toneladas na safra 2019/2020.… Read More

8 de julho de 2020

Exportação de carne bovina dos EUA atinge em maio menor nível mensal em 10 anos

As exportações de carne bovina e suína dos Estados Unidos caíram em maio, refletindo, em… Read More

8 de julho de 2020

Marfrig lança programa de apoio a pequenos restaurantes

A brasileira Marfrig, segunda maior indústria de carne bovina do mundo, lançou hoje um programa… Read More

8 de julho de 2020

Inmet emite alerta vermelho para chuvas no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um aviso vermelho (grande perigo) para acumulado de… Read More

8 de julho de 2020