Molina investe mais R$ 1 bilhão na Marfrig
5 de fevereiro de 2021
Nova Turma Mentoria AgroTalento 2021
5 de fevereiro de 2021

De 2020 a 2030, a UE estima um crescimento médio anual no consumo de carne de 1,1% em todo o mundo

De acordo com as últimas previsões da União Europeia (UE), o consumo mundial de carne deverá continuar crescendo a uma taxa estimada de 1,1% ao ano. No entanto, espera-se que o consumo de carne na UE caia 1,6% per capita até 2030.

Um fator importante antecipado nos mercados de carne da UE é a sustentabilidade, que pode levar a uma redução no censo de gado da UE até 2030. Prevê-se que a produção total de carne da UE diminua apesar da inovação e das melhorias tecnológicas aumentarem a eficiência.

Em relação à carne bovina, de acordo com a Comissão Europeia, a produção de carne da UE deverá cair 8% (0,6 milhões de toneladas) entre 2020 e 2030. O censo deverá cair 2,2 milhões de cabeças (-7%) até 2030, refletindo aumentos em produção de leite reduzindo a necessidade de vacas leiteiras. O censo das vacas leiteiras deve diminuir devido à perda de rentabilidade dos pecuaristas em face do fornecimento de carne de outros grandes produtores como Brasil, Estados Unidos ou Argentina. No entanto, a desaceleração da produção global pode fazer com que os preços aumentem ligeiramente entre 2025 e 2030.

Quanto ao consumo desta carne na UE, pode continuar diminuindo após os efeitos do covid-19 em 2020. A menor produção e manutenção das importações juntamente com o menor consumo farão com que ultrapasse 10,6 kg em 2020 para 9,7 k/ pessoa/ano em 2030.

Para os suínos, as perspectivas são incertas no médio prazo. Prevê-se que as preocupações ambientais em vários países da UE e o impacto da peste suína africana limitem a produção de suínos na UE. Como tal, a produção de carne suína da UE deverá cair 4,6% (1 milhão de toneladas) entre 2020 e 2030.

No curto prazo, espera-se que a demanda por carne suína da UE diminua, o que pode levar a uma queda nos preços. Este é o resultado da recuperação antecipada de peste suína africana nos níveis de produção chinesa, o que provavelmente reduzirá a demanda por importações da Europa durante o próximo 2021. Apesar disso, a Comissão Europeia espera que os preços da UE se recuperem em 2030 para cerca de € 1.600 ( US$ 1922) a tonelada, conforme a produção cai.

O consumo de carne suína na UE também deverá continuar diminuindo no médio prazo. Embora os níveis devam se recuperar um pouco em 2021, a Comissão Europeia prevê que o consumo continuará a cair em cerca de 1,4 kg per capita até 2030.

Fonte: Eurocarne, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *