Categories: Giro do Boi

COVID-19 provoca turbulência em confinamentos nos EUA

O último relatório do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) sobre animais confinados mostra os impactos dramáticos do COVID-19 nos mercados de boi gordo. O estoque de confinamento de 1º de maio foi de 11,2 milhões de cabeças, queda de 5,1% ano a ano. As vendas em abril caíram 24,3% em relação ao ano passado, uma redução de 433.000 cabeças ano a ano. A diminuição da comercialização reflete as graves interrupções no abate de bovinos em abril e continuação em maio. Isso segue um aumento de 13,1% ano a ano nos mercados de confinamento de março.

A variação média ano a ano em relação a março e abril juntos foi uma queda de 6,4 nas vendas. A desaceleração nas vendas em abril e a acumulação de gado em confinamentos teriam sido mais severas sem as fortes vendas em março. O número de animais confinados continua aumentando em maio.

As colocações de animais em confinamento em abril caíram 22% em relação ao ano anterior e seguem uma queda de 23% em março. As colocações combinadas de março e abril caíram 867.000 cabeças em relação ao ano passado. Isso sugere que uma queda significativa nos mercados esperados de confinamento, que começa principalmente em setembro e outubro. Obviamente, as colocações atrasadas ​​de março e abril aparecerão a partir de maio e serão mais pesados, mas o atraso ajudará os confinamentos a terem a chance de ficar atualizados.

A indústria de confinamento passará grande parte do verão trabalhando com o atraso do estoque de boi gordo, mas o buraco das colocações de março e abril no confinamento deve fornecer uma janela de marketing para recuperar esse outono, se não antes.

As interrupções nos frigoríficos devido ao COVID-19 começaram no início de abril com uma diminuição de 19,3% em novilhas na semana que terminou em 11 de abril. Os totais de abate diminuíram por quatro semanas, culminando em uma redução de 41,2% de abates na semana que termina em 2 de maio.

A indústria frigorífica parece ter feito um progresso significativo na restauração da capacidade nas últimas três semanas, com o abate total estimado de gado na semana passada caindo 14,2% em relação aos níveis do ano anterior.

Fonte: Artigo de Derrell Peel – Oklahoma State University, para a Drovers, traduzido e adaptado pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 27 de maio de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

McDonald’s: Pasto regenerativo para fazendas de carne resilientes no Reino Unido

O McDonald’s UK e a FAI Farms Ltd são pioneiros no Adaptive Multi-Paddock Grazing (AMP)… Read More

26 de fevereiro de 2021

Boi gordo perde força e arroba desvaloriza até R$ 5 nesta quinta

O mercado físico de boi gordo registrou preços de estáveis a mais baixos nesta quinta-feira,… Read More

26 de fevereiro de 2021

Decisão de Lyon de retirar carne das cantinas escolares gera protestos na França

A decisão temporária do presidente da Câmara de Lyon, membro do partido Europa Ecologia –… Read More

26 de fevereiro de 2021

Regulamentação e sustentabilidade desafiam cadeia da carne no Brasil

A cadeia produtiva brasileira da carne está cada vez mais engajada em regularizar a situação… Read More

26 de fevereiro de 2021

Mercosul cobra proposta ambiental de europeus

Uma audiência pública no Parlamento Europeu sobre o acordo União Europeia-Mercosul serviu para a Argentina,… Read More

26 de fevereiro de 2021

JBS quer criar empresa para atuação global em produtos à base de plantas

A JBS pretende criar uma empresa global dedicada especialmente a alimentos à base de plantas,… Read More

26 de fevereiro de 2021