Categories: Giro do Boi

COVID-19 provoca turbulência em confinamentos nos EUA

O último relatório do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) sobre animais confinados mostra os impactos dramáticos do COVID-19 nos mercados de boi gordo. O estoque de confinamento de 1º de maio foi de 11,2 milhões de cabeças, queda de 5,1% ano a ano. As vendas em abril caíram 24,3% em relação ao ano passado, uma redução de 433.000 cabeças ano a ano. A diminuição da comercialização reflete as graves interrupções no abate de bovinos em abril e continuação em maio. Isso segue um aumento de 13,1% ano a ano nos mercados de confinamento de março.

A variação média ano a ano em relação a março e abril juntos foi uma queda de 6,4 nas vendas. A desaceleração nas vendas em abril e a acumulação de gado em confinamentos teriam sido mais severas sem as fortes vendas em março. O número de animais confinados continua aumentando em maio.

As colocações de animais em confinamento em abril caíram 22% em relação ao ano anterior e seguem uma queda de 23% em março. As colocações combinadas de março e abril caíram 867.000 cabeças em relação ao ano passado. Isso sugere que uma queda significativa nos mercados esperados de confinamento, que começa principalmente em setembro e outubro. Obviamente, as colocações atrasadas ​​de março e abril aparecerão a partir de maio e serão mais pesados, mas o atraso ajudará os confinamentos a terem a chance de ficar atualizados.

A indústria de confinamento passará grande parte do verão trabalhando com o atraso do estoque de boi gordo, mas o buraco das colocações de março e abril no confinamento deve fornecer uma janela de marketing para recuperar esse outono, se não antes.

As interrupções nos frigoríficos devido ao COVID-19 começaram no início de abril com uma diminuição de 19,3% em novilhas na semana que terminou em 11 de abril. Os totais de abate diminuíram por quatro semanas, culminando em uma redução de 41,2% de abates na semana que termina em 2 de maio.

A indústria frigorífica parece ter feito um progresso significativo na restauração da capacidade nas últimas três semanas, com o abate total estimado de gado na semana passada caindo 14,2% em relação aos níveis do ano anterior.

Fonte: Artigo de Derrell Peel – Oklahoma State University, para a Drovers, traduzido e adaptado pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 27 de maio de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Uruguai estuda protocolo para incluir gado terminado com grãos na Cota Hilton

Membros do setor privado uruguaio e do Poder Executivo estão estudando a possibilidade de solicitar… Read More

8 de julho de 2020

Produção de grãos no país deve chegar a 251,4 milhões de toneladas impulsionada pela colheita de milho e soja

A produção brasileira de grãos deverá ser de 251,4 milhões de toneladas na safra 2019/2020.… Read More

8 de julho de 2020

Exportação de carne bovina dos EUA atinge em maio menor nível mensal em 10 anos

As exportações de carne bovina e suína dos Estados Unidos caíram em maio, refletindo, em… Read More

8 de julho de 2020

Marfrig lança programa de apoio a pequenos restaurantes

A brasileira Marfrig, segunda maior indústria de carne bovina do mundo, lançou hoje um programa… Read More

8 de julho de 2020

Inmet emite alerta vermelho para chuvas no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um aviso vermelho (grande perigo) para acumulado de… Read More

8 de julho de 2020