Consumidores dos EUA estão consumindo mais carne à base de vegetais

O mercado dos EUA viu as vendas no varejo de alimentos à base de plantas crescerem 17% nos últimos 12 meses.

Os novos dados, divulgados pela Nielsen e encomendados pelo Instituto Good Food (GFI), mostraram que as vendas totais atingiram US $ 3,7 bilhões. Isso é comparado ao total de vendas de alimentos no varejo que cresceram apenas 2% durante o mesmo período de tempo, disse.

As vendas de carne à base de plantas aumentaram 23% no ano passado, com o mercado de varejo dos EUA agora valendo US $ 684 milhões.

As cinco principais marcas de carnes de origem vegetal, por vendas totais, foram Morningstar Farms, Gardein, Lightlife, Beyond Meat e a Boca. A marca de carne com crescimento mais rápido foi a Beyond Meat, com vendas acima de 70%, seguida pela Field Roast (+ 68%), Gardein (+ 51%), Dr Praeger (+ 44%) e Quorn (+ 31%).

“À medida que os consumidores buscam diminuir o consumo de carne, mais e mais pessoas escolhem carnes de origem vegetal”, disse Alison Rabschnuk, diretora de engajamento da GFI.

“De fato, 12% das famílias nos EUA agora compram carne à base de vegetais. Isso é uma estimativa de 14,7 milhões de lares, o que representa um aumento significativo em relação ao ano passado, e a expectativa é que essa tendência continue.”

O leite à base de plantas é vendido agora em 89% de todas as lojas de varejo e comanda 13% do total de vendas de leite no varejo nacionalmente.

A GFI disse que a categoria de carne à base de vegetais estava em uma posição similar a onde o leite estava há cerca de 10 anos. Caroline Bushnell, gerente sênior de marketing da GFI, disse: “Se essa trajetória continuar, atingir a paridade de mercado com o leite à base de plantas faria a categoria de carne baseada em plantas de varejo valer quase US$ 10 bilhões”.

Os dados abrangem as vendas no varejo de alimentos à base de vegetais que substituem diretamente produtos de origem animal, incluindo carne, frutos do mar, ovos e laticínios, bem como refeições que contêm substitutos diretos de ingredientes de origem animal. Os dados foram obtidos durante o período de 52 semanas que terminou em 11 de agosto de 2018 da Nielsen.

Fonte: GlobalMeatNews.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar