Categories: Giro do Boi

Conheça pessoas que foram incrivelmente produtivas em períodos de quarentena

A vida mudou rapidamente desde que a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a COVID-19 uma pandemia em 11 de março de 2020. Como o novo coronavírus que causa a doença se espalhou por diversos países, chegando também ao Brasil, os escritórios fecharam, os espaços públicos foram esvaziados e as autoridades pediram que as pessoas ficassem em casa. tanto quanto possível.

De repente, muitas pessoas se viram com mais tempo livre e maneiras limitadas de gastá-lo. O isolamento ou a quarentena é um ótimo momento para priorizar seu bem-estar físico e mental, mas se você também quiser usá-lo para ser produtivo, terá vários modelos históricos para escolher.

William Shakespeare não foi a única pessoa que produziu alguns de seus melhores trabalhos durante uma pandemia. Aqui estão outros grandes pensadores e artistas que usaram o distanciamento social em seu proveito.

Shakespeare

“William Shakespeare escreveu o rei Lear em quarentena” é exatamente o tipo de história exagerada que você espera ver se espalhar durante um ciclo de notícias descontroladas, mas esse é um boato viral enraizado na verdade.

Shakespeare era ator e acionista da tropa de teatro The King’s Men quando a peste bubônica forçou os teatros de Londres a fechar no início do século XVII. A regra oficial era que, depois de semanas, quando o número de mortos ultrapassava 30, os teatros públicos precisavam ser fechados. Isso significava que a indústria do teatro ficou paralisada por boa parte de 1606 quando a praga voltou à cidade. Depois de encontrar-se subitamente sem emprego fixo e muito tempo livre, Shakespeare começou a escrever. Ele compôs o rei Lear, Macbeth, Antônio e Cleópatra antes do fim do ano.

Newton

Em 1665, a Inglaterra vivia um momento complicado: a Grande Praga de Londres. Por isso, diversas universidades mandaram os alunos para casa, como a Trinity College, em Cambridge. Foi o caso do jovem Isaac Newton, que deve de voltar para Woolsthorpe Manor, propriedade na qual vivia a família.

Como relata o The Washington Post, por causa da doença, Newton teve de ficar mais de um ano longe da universidade – período que, mais tarde, seria chamado de “ano miraculoso”.

Ele seguiu com estudos de matemática e foi durante essa “quarentena” que ele decidiu sentar embaixo da árvore que o faria elaborar a Teoria da Gravidade, quando a maçã caiu na cabeça do matemático.

Newton só pode voltar aos estudos em 1667. Ele chegou a Cambridge com sua teoria escrita e, em dois anos, já era professor. Entre 1665 e 1666, um quarto da população de Londres morreu por causa da doença.

Edvard Munch

O pintor de O Grito, Edvard Munch, não testemunhou apenas a pandemia de gripe espanhola mudar o mundo ao seu redor – ele contraiu a doença no início de 1919, enquanto morava na Noruega. Mas, em vez de se tornar uma de suas muitas vítimas, Munch viveu para continuar fazendo grandes obras de arte.

Assim que se sentiu fisicamente capaz, reuniu seus materiais de pintura e começou a capturar seu estado físico. O autorretrato com a gripe espanhola mostra-o com os cabelos ralos e o rosto magro sentado à frente do leito do doente.

Thomas Nasche

Thomas Nashe foi um dramaturgo elisabetano que ganhou fama na mesma época que William Shakespeare. Quando a peste bubônica atingiu Londres em 1592, Nashe fugiu para o interior da Inglaterra para evitar infecções. Foi a mesma época em que ele escreveu Summers’ Last Will and Testament, uma peça que reflete suas experiências ao longo da pandemia. Alguns trechos dessa peça dizem:

Adeus, adeus à terra feliz, (…)
A morte prova a todos, mas brinca,
Nenhum de seus dardos pode voar;
Estou doente, devo morrer:
Senhor, tenha misericórdia de nós.

Giovanni Boccaccio

O escritor e poeta florentino Giovanni Boccaccio foi pessoalmente afetado pela peste bubônica. Quando atingiu Florença em 1348, seu pai e madrasta sucumbiram à doença. Boccaccio sobreviveu ao surto fugindo da cidade e se escondendo na zona rural da Toscana.

Durante esse período, ele escreveu The Decameron, uma coleção de novelas emolduradas como histórias que um grupo de amigos conta um ao outro enquanto estão em quarentena dentro de uma vila durante a praga.

Fonte: Yahoo notícias e texto de Michele Debczak, para o Medium, traduzido e adaptado pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 25 de março de 2020

Share

Recent Posts

Cientistas em Massachusetts criam carne bovina mais saudável aprimorando geneticamente células de vaca com nutrientes vegetais

Cientistas em Massachusetts conseguiram combinar células musculares bovinas com extratos de plantas no que eles… Read More

19 de outubro de 2020

Caminho aberto para novas valorizações do boi gordo

Durante toda a semana, o movimento altista voltou a ganhar força diante das dificuldades de… Read More

19 de outubro de 2020

“Compras da China podem chegar a 1,2 milhão de toneladas de carne”, diz Lygia Pimentel

O mercado brasileiro de carne bovina segue em alta este ano e também no próximo,… Read More

19 de outubro de 2020

Brasil produz mais carne usando menos terra, diz presidente da JBS

O presidente-executivo global da JBS , Gilberto Tomazoni, afirmou nesta sexta-feira que fornecedores de gado… Read More

19 de outubro de 2020

NotCo leva hambúrguer vegano ao varejo mirando expansão nacional

A partir de novembro, a chilena NotCo coloca em prática seu plano de expansão no… Read More

19 de outubro de 2020

Falta de integração de bases de dados desafia fiscalização

A falta de integração entre as bases de dados e estatísticas do governo e a… Read More

19 de outubro de 2020