Como a pegada de carbono da carne bovina dos EUA se compara à carne bovina global? – Por Amanda Radke

Sustentabilidade – é um tópico de discussão nos dias de hoje, à medida que a nossa população continua crescendo e os recursos disponíveis se tornam cada vez menos à medida que as pastagens e as florestas são substituídas pelas selvas de concreto da expansão urbana.

No entanto, se você perguntar a um ativista ambiental sobre esse assunto, ele diria que a agricultura é culpada. Isto apesar do fato de que a produção de alimentos modernos usa menos terra, água e outros recursos naturais para produzir uma abundância de alimentos que está amplamente disponível para os consumidores.

No entanto, é fácil considerar as práticas modernas de produção de alimentos como garantidas quando estamos de barriga cheia.

A sustentabilidade é uma palavra da moda que foi roubada por ativistas e usada como uma arma para criticar, atacar e demonizar os agricultores e fazendeiros de hoje. É uma palavra difícil de definir, mas para os produtores de carne, sempre foi sobre a conservação da terra, produzindo carne bovina mais nutritiva e segura e passando nosso legado para a próxima geração.

Quando você coloca isso em termos leigos, a sustentabilidade não é tão complicada; no entanto, os equívocos sobre a produção de carne bovina continuam a nos prejudicar.

Uma coisa que ouvimos repetidas vezes é a mentira de que a cadeia de produção de carne bovina de hoje em dia emite muitos gases de efeito estufa. Se simplesmente deixássemos de comer carne às segundas-feiras, poderíamos continuar a dirigir nossos SUVs gastronômicos e viver em mansões de que gastam muita energia sem nos sentir culpados. É o cheeseburger que está causando todo o dano, certo?

Não tão rápido.

Este mito foi desmantelado muitas vezes, mas em uma nova animação, financiada pelo Beef Checkoff, a sustentabilidade é destrinchada para mostrar aos consumidores dados sobre as emissões de gases de efeito estufa pelo gado bovino dos Estados Unidos em relação ao gado bovino criado ao redor do mundo.

Clique na imagem abaixo para ver a animação:

Aqui está um trecho da informação que os consumidores aprenderão ao assistir esta animação:

“Em duas análises recentes dos sistemas de pecuária globais, os sistemas de produção de carne norte-americana (incluindo os EUA) apresentaram pegadas de carbono de 10 a 50 vezes menores em comparação com muitas nações da África subsaariana e do subcontinente indiano.”

“Alimentos animais de alta qualidade, menor estresse calórico, genética animal melhorada, desempenho reprodutivo melhorado e crescimento mais rápido – esses cinco fatores melhoram a eficiência nos EUA, enquanto diminuem as emissões e o uso de recursos naturais.”

Esta é apenas uma das várias animações que o Beef Checkoff lançará aos consumidores.

Por Amanda Radke, produtora da quinta geração de Mitchell, Dakota do Sul, que tem dedicado sua carreira para servir como uma voz para os produtores de carne bovina dos Estados Unidos, para a BEEF Magazine.


ou utilize o Facebook para comentar