Categories: Giro do Boi

Commodities:Após correção, soja e milho voltam a subir em Chicago

Após terem recuado na sessão de segunda-feira, pressionadas por um movimento de correção, as cotações da soja e do milho voltaram a subir nesta terça-feira na bolsa de Chicago.

A alta dos contratos futuros da soja para entrega em janeiro foi de 0,99% (10,25 centavos de dólar), para US$ 10,47 o bushel. Já os papéis do milho para março de 2021 avançaram 0,63% (2,5 centavos de dólar), para US$ 3,9925 o bushel.

No caso da soja, o relatório de exportações do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) mostrou que os americanos embarcaram 2,1 milhões de toneladas de soja na semana encerrada em 8 de outubro. Esse volume representou um aumento de 5% na comparação com os sete dias anteriores.

Na segunda-feira, o analista Karl Setzer, da Agrivisor, disse que os traders estão tentando entender os limites da alta da oleaginosa, que já subiram consideravelmente nas últimas semanas.

No caso do milho, os preços receberam apoio da expectativa de atraso da colheita americana. Em seu último relatório de andamento da safra, o USDA estimou que 25% da colheita foi concluída. No entanto, a atualização desta terça-feira do relatório pode dizer algo diferente, disse Craig Turner, da Daniels Trading. “Os relatórios de colheita que tenho ouvido nos últimos dias são piores do que o esperado”, acrescentou Turner à agência Dow Jones Newswires.

Ainda na bolsa de Chicago, os contratos do trigo com entrega em dezembro fecharam praticamente estáveis nesta terça-feira. Houve queda de apenas 0,04% (0,25 centavo de dólar), a US$ 5,94 o bushel.

O relatório de exportações do USDA mostrou que os embarques americanos de trigo na semana encerrada em 8 de outubro foram de 514 mil toneladas, queda de 28% em comparação com a semana anterior.

Os traders também acompanharam nesta terça-feira a notícia de que as exportações de grãos da Ucrânia somaram 13,12 milhões de toneladas desde 1º de julho, queda de 14% em relação ao mesmo período do ano passado — a Ucrânia é responsável por cerca de 10% das exportações globais do cereal.

No caso do trigo, as vendas somaram 9,2 milhões de toneladas, ante 9,8 milhões em igual intervalo do ano passado. Além disso, algumas agências estão rebaixando suas estimativas para a produção da safra ucraniana de grãos, de acordo com a consultoria StoneX.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 14 de outubro de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Chegou a sua chance de mudar o jogo da fazenda

Se você quer… 📍 Ter uma fazenda com mais lucro, satisfação, reconhecimento com mais harmonia.… Read More

5 de março de 2021

Uruguai: INAC considera exportar para países do Sudeste Asiático

O Instituto Nacional de Carnes (INAC) do Uruguai está explorando a possibilidade de facilitar exportações… Read More

5 de março de 2021

Senador dos EUA proporá lei que impede importação de commodities associadas a desmatamento

Os Estados Unidos deverão discutir em breve um projeto de lei para impedir que o… Read More

5 de março de 2021

Votação na Suíça pode definir peso de exigências ambientais

Pela primeira vez os suíços vão votar sobre um acordo comercial. A consulta popular a… Read More

5 de março de 2021

Rastrear fornecedores indiretos de gado demanda ‘várias engrenagens’, diz membro do comitê de sustentabilidade da Marfrig

O rastreamento dos fornecedores indiretos de gado dos frigoríficos para zerar o desmatamento nessa parcela… Read More

5 de março de 2021

Nova cepa de peste suína africana na China preocupa analistas

Uma nova cepa do vírus causador da peste suína africana (ASF) identificada na China tem… Read More

5 de março de 2021