Categories: Giro do Boi

Commodities: Milho recua em Chicago com expectativa de que USDA preveja mais estoques

A expectativa dos traders de que o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) aumentará suas projeções para os estoques de passagem de milho da safra 2019/20 colaborou para a queda dos preços futuros do grão hoje na bolsa de Chicago.

Os contratos mais negociados do cereal, para entrega em julho fecharam com recuo de 0,52% (1,75 centavos de dólar), a US$ 3,355 o bushel.

Analistas ouvidos pelo “The Wall Street Journal” acreditam que o órgão americano elevará sua estimativa de 297,3 milhões de toneladas para 298,5 milhões de toneladas. A perspectiva pode contribuir para pressionar ainda mais os preços do cereal, que já vêm sofrendo com a retração da demanda por etanol nos EUA, onde o biocombustível é feito de milho.

No mercado de trigo, os papéis para maio, de maior liquidez , caíram 0,18% (1 centavo de dólar) a US$ 5,4825 o bushel. Já os contratos para julho subiram 0,18% (1 centavo de dólar), negociados a US$ 5,485 o bushel.

Na avaliação do analista Karl Setzer, da consultoria Agrivisor, os operadores do mercado iniciaram a sessão cobrindo algumas posições vendidas (apostas na queda), mas a alta volatilidade do pregão acabou puxando os preços do cereal para baixo. Há ainda grande expectativa para o aumento de estoques americanos do trigo no relatório do USDA — o que pressiona os preços.

A projeção média dos analistas consultados pelo “The Wall Street Journal” para os estoques de trigo nos EUA é de 25,72 milhões de toneladas de trigo, mas para os estoques globais a expectativa é de manutenção da projeção em 287 milhões de toneladas. A expectativa para o cenário de oferta americana de trigo é de maior conforto do que o sinalizado em março, quando o USDA estimou que os estoques do grão no país terminariam a safra em 25,58 milhões de toneladas.

Ainda na bolsa de Chicago, a falta de compras chinesas voltou a pressionar os preços da soja ao longo do pregão, que no fim do pregão fecharam praticamente estáveis. Os lotes futuros da oleginosa com vencimento em julho encerram a sessão com ligeira alta de 0,09% (0,75 centavo de dólar), a US$ 8,6175 o bushel.

Diante do avanço da covid-19 pelo mundo, os traders de grãos estão começando a perder a esperança de que a demanda chinesa por produtos agrícolas se expanda perto dos US$ 36 bilhões acordados no acordo comercial de primeira fase entre EUA e China, assinado em janeiro. “A disseminação da pandemia interrompeu inquestionavelmente muitos planos e previsões”, disse Dan Hueber, da corretora Hueber Report, à Dow Jones Newswires.

Mas, para, Luiz Pacheco, analista da consultoria T&F, a ausência da China no mercado tem uma explicação: “Estão apostando no aumento dos estoques americanos no próximo relatório de quinta-feira, do USDA, e na consequente queda nos preços”, afirmou.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 9 de abril de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Chegou a sua chance de mudar o jogo da fazenda

Se você quer… 📍 Ter uma fazenda com mais lucro, satisfação, reconhecimento com mais harmonia.… Read More

5 de março de 2021

Uruguai: INAC considera exportar para países do Sudeste Asiático

O Instituto Nacional de Carnes (INAC) do Uruguai está explorando a possibilidade de facilitar exportações… Read More

5 de março de 2021

Senador dos EUA proporá lei que impede importação de commodities associadas a desmatamento

Os Estados Unidos deverão discutir em breve um projeto de lei para impedir que o… Read More

5 de março de 2021

Votação na Suíça pode definir peso de exigências ambientais

Pela primeira vez os suíços vão votar sobre um acordo comercial. A consulta popular a… Read More

5 de março de 2021

Rastrear fornecedores indiretos de gado demanda ‘várias engrenagens’, diz membro do comitê de sustentabilidade da Marfrig

O rastreamento dos fornecedores indiretos de gado dos frigoríficos para zerar o desmatamento nessa parcela… Read More

5 de março de 2021

Nova cepa de peste suína africana na China preocupa analistas

Uma nova cepa do vírus causador da peste suína africana (ASF) identificada na China tem… Read More

5 de março de 2021