Categories: Giro do Boi

China quer renegociar preços da carne bovina do Brasil

As negociações Brasil e China no setor de carne bovina passam por um soluço. Os importadores chineses não querem mais pagar os preços acertados pela carne e propõem uma renegociação dos valores. Na avaliação deles, os preços estão elevados, os lucros da indústria são grandes e o câmbio permitiria um novo acerto.

Essa renegociação afeta pequenos e grandes frigoríficos, mas os que estão chegando agora ao mercado chinês, devido à ampliação de indústrias habilitadas a exportar para o país asiático no final de 2019, estão com mais dificuldade nessas renegociações.

Muitos deles fizeram empréstimos para as operações de embarque e agora têm dificuldades para receber os valores acertados . Essa mudança de preço proposta pelos importadores ocorre tanto em produtos que ainda estão em navios em direção à China quanto nos que já chegaram ao país.

Na avaliação dos brasileiros, os preços realmente subiram muito, principalmente nos meses finais de 2019. Quem elevou esses valores, porém, foi a própria China.

Ao aumentar as compras de carne em plena entressafra de bois no Brasil, os chineses provocaram uma explosão nos preços do animal no pasto. Os valores chegaram a R$ 231 por arroba. Agora estão em R$ 192, segundo o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada).

As indústrias brasileiras pagaram esses valores elevados e a renegociação nos patamares propostos pelos importadores não cobriria os custos do boi e da operação de exportação.

Após um grande frigorífico da América do Sul fazer negócios recentes com os chineses a preços menores, eles querem esse novo valor como parâmetro.

Segundo o dirigente de um sindicato do setor, há um novo contexto preocupante . A oferta de gado no pasto é pequena, os preços do boi vão se manter elevados, próximos de R$ 190 por arroba, e os valores que a China quer pagar não cobrem os custos da indústria nacional.

Com isso, haverá redução de oferta de carne para os chineses no primeiro semestre. Alguns exportadores estão tentando desviar a carne para o Irã, outro importante comprador do Brasil, mas os negociadores do país persa seguramente vão levar em consideração esse novo cenário.

A China importou um volume de carne sem precedentes no ano passado, devido à peste suína africana no país. Estimativas indicam compras no valor de US$ 14 bilhões.

Fonte: O Bom da Notícia.

This post was last modified on 21 de janeiro de 2020 12:14

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Ação de promoção da carne brasileira no mercado árabe pode gerar US$ 200 milhões em negócios

Bom ritmo de negócios e ampliação de relacionamentos marcaram a participação da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec)… Read More

21 de fevereiro de 2020

O AgroTalento me ajudou a realizar meus sonhos e objetivos pessoais e profissionais

Luciano Guimarães Simão nasceu em Uberlândia e é de uma família de produtores rurais. Seu tataravô já era pecuarista. Ele… Read More

21 de fevereiro de 2020

Abertura de capital nos EUA no radar da Marfrig

Com mais de 60% do faturamento no mercado americano, a Marfrig Global Foods vislumbra abrir o capital do grupo em… Read More

21 de fevereiro de 2020

Fazenda Figueira completa 20 anos como estação experimental

A Estação Experimental Agrozootécnica Hildegard Georgina Von Pritzelwitz, também conhecida como Fazenda Figueira, completou 20 anos de sua implantação nesta… Read More

21 de fevereiro de 2020

RS pedirá para deixar de vacinar, mas aval depende de melhorias

O Estado pedirá ao Ministério da Agricultura a retirada da vacina contra a febre aftosa. Mas a decisão será reavaliada… Read More

21 de fevereiro de 2020