Categories: Giro do Boi

China elabora plano de segurança alimentar em meio à pandemia

A China vai elaborar e executar ainda em 2020 um plano de resposta para garantir sua segurança alimentar em meio à pandemia global de coronavírus, informou hoje a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma do país (NDRC), segundo a agência Reuters.

Pequim também deverá elaborar, no ano que vem, um novo plano nacional de médio e longo prazo para garantir o fornecimento de alimentos do país asiático, disse a NDRC em relatório anual enviado ao parlamento.

Os novos planos vêm depois que a pandemia agitou as cadeias de suprimentos agrícolas em todo o mundo e ameaçou desencadear uma potencial crise alimentar.

As autoridades chinesas instaram as empresas estatais e privadas do país a ampliar os estoques de produtos agrícolas básicos para a alimentação humana e animal, como soja e milho, a fim de amenizar eventuais interrupções no fluxo de escoamento.

“É imperativo, e está dentro de nossa capacidade, garantir o suprimento de alimentos para 1,4 bilhão de chineses através de nossos próprios esforços”, disse o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, ao parlamento, segundo a Reuters.

A China manterá a área total da colheita e a produção de grãos estáveis em 2020, dará mais “recompensas” aos principais países produtores de grãos e aumentará o preço mínimo de compra do arroz, disse Li.

“A China também continuará promovendo a recuperação da produção suína e reforçando inspeção e prevenção de importantes doenças animais, como a peste suína africana, segundo o relatório.

A peste suína africana, altamente contagiosa, já dizimou a enorme vara de porcos da China e continua a ser uma ameaça, mas o país não verá um grande aumento nos preços da carne suína, disse o ministro da Agricultura, Han Changfu, também segundo a agência.

A China também diversificará as importações agrícolas para tentar garantir a estabilidade do fornecimento – não só de grãos e carnes, mas também de ovos, frutas e legumes,entre outros.

Pequim também quer garantir aos produtores do país o fornecimento de sementes, fertilizantes, pesticidas e máquinas agrícolas, disse Li Keqiang.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 25 de maio de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Mercado de carne de frango tem Recuperação frágil após tempestade Covid-19, diz Rabobank

A indústria avícola global está se recuperando gradualmente de uma tempestade que ocorreu no primeiro… Read More

7 de julho de 2020

Teste rápido é inútil para conter a covid-19 dentro de frigoríficos

Sob escrutínio das autoridades devido à propagação da covid-19 entre funcionários, os frigoríficos brasileiros podem… Read More

7 de julho de 2020

Brasil cobra do Japão abertura de mercado para carne e melão

O Brasil e vários outros países cobraram do Japão, mais uma vez, maior abertura de… Read More

7 de julho de 2020

Boi: 50% dos pecuaristas podem deixar a atividade até 2040, diz Embrapa

Um dos pilares do agronegócio brasileiro, a cadeia da pecuária de corte movimentou o correspondente… Read More

7 de julho de 2020

Exportação de carne bovina bate recorde

As exportações brasileiras de carne bovina (in natura e processada) somaram 172,36 mil toneladas em… Read More

7 de julho de 2020