Chapa, churrasqueira, charbroil ou parrilha: onde a carne fica melhor?

Carne é, certamente, um ingrediente presente na maior parte dos restaurantes da cidade. De hamburguerias a casas da haute cuisine, existem diferentes formas de se realizar o preparo. Cada método tem uma característica própria. Selecionamos os mais comuns para você exercer seu lado carnívoro.

Chapa

É equivalente a fazer em uma frigideira quente. É um método neutro, pois adiciona pouco sabor ao ingrediente. Confere crosta crocante e dourada e saboriza com algum elemento que você adicione à chapa, como ervas, alho e outros temperos.

Picanha, traditional Brazilian barbecue.

Churrasqueira

A churrasqueira como conhecemos é coisa de brasileiro. Mas o conceito geral é a carne exposta à chama aberta ou brasa (de carvão ou lenha) – a técnica confere sabor defumado ao ingrediente. Ao utilizar lenha, por exemplo, é possível conferir aromas diferentes dependendo da madeira escolhida. Solte a imaginação.

Parrilla

A parrilla argentina invadiu Brasília. Trata-se de uma grelha posicionada sobre brasas de carvão. O cozinheiro responsável pela estrutura deve ter um bom sentimento e controle de temperatura, visto que esse método não distribui igualmente o calor.

A dificuldade compensa pelo sabor: além do defumado que a própria brasa confere, a gordura derrete e pinga. A reação libera vapores aromáticos…

Assorted delicious grilled meat with vegetables over the coals on a barbecue

Charbroil

Consiste em uma grelha (ou grade, superfície de tijolos cerâmicos e placas metálicas) disposta sobre chama aberta. O método permite simular a parrilla ou a churrasqueira em um espaço mais confinado e sem gerar muita fumaça.

Embora o resultado não seja idêntico, em chama aberta temos um sabor semelhante ao de churrasqueira. Para se chegar perto ao cozimento encontrado na parilla, opte pelos tijolos cerâmicos.

Fonte: Artigo de André Rochadel, para o Metrópoles.


ou utilize o Facebook para comentar