Categories: Giro do Boi

Cepea: Queda no rebanho da Austrália pode favorecer exportação brasileira

Mesmo com um rebanho do tamanho do estado de Mato Grosso, a Austrália está entre os três maiores exportadores mundiais de carne bovina, atrás do Brasil e à frente dos Estados Unidos. Enquanto os australianos embarcam praticamente metade de sua produção, o Brasil exporta, em média, apenas 20%.

Em 2016, no entanto, os embarques de carne australiana recuaram 21% frente ao mesmo período do ano anterior, devido à queda de 18% na produção de carne daquele país, segundo indicam dados do MLA (sigla em inglês de Meat and Livestock Australia – Carne e Pecuária Austrália).

Esse cenário, por sua vez, pode favorecer as exportações brasileiras em 2017, especialmente à China – 10% dos embarques de carne australiana tiveram como destino a China em 2016. No ano passado, o Real mais valorizado e a diminuição na demanda de alguns países limitaram os embarques brasileiros da carne. Segundo dados da Secex, foram 1,076 milhão de toneladas de carne in natura exportadas pelo Brasil em 2016, volume 0,3% inferior ao de 2015.

Em 2016, as exportações australianas à China, especificamente, caíram fortes 32,5% frente ao ano anterior, enquanto os embarques brasileiros ao país asiático aumentaram 15% na mesma comparação. No correr do ano passado, o maior volume mensal embarcado pelo Brasil à China foi observado em outubro, de 21 mil toneladas, mês em que a quantidade exportada pela Austrália ao país asiático caiu 44% em relação à de igual intervalo de 2015.

Dados do MLA indicam que, em 2016 (até outubro), o rebanho australiano diminuiu 4,6% em relação ao mesmo período do ano anterior, indo para 26,1 milhões de cabeças, um dos mais baixos da história do país. A pecuária australiana vinha passando por um ciclo de retenção de animais, com pico em 2013, quando o país contava com 29,2 milhões de cabeças, ainda segundo o MLA. Porém, a forte seca que atingiu o país em 2014 forçou produtores a elevarem o escoamento de animais para o abate, resultando nos atuais baixos volumes de rebanho. Esse aumento da oferta em 2014, inclusive, ocasionou recorde de produção e de exportação. Em 2014, a Austrália produziu 2,59 milhões de toneladas de carne e 1,28 milhão de toneladas foram exportadas, também segundo o MLA.

Mesmo com a queda na produção total de carne bovina em 2016, a Austrália manteve elevado o volume de exportação. Naquele ano, foram 1,01 milhão de toneladas embarcadas, de acordo com o MLA. Os principais destinos da carne australiana são Japão, Estados Unidos, Coreia do Sul e China.

Fonte: Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP).

This post was published on 24 de janeiro de 2017

Share

Recent Posts

Chegou a sua chance de mudar o jogo da fazenda

Se você quer… 📍 Ter uma fazenda com mais lucro, satisfação, reconhecimento com mais harmonia.… Read More

5 de março de 2021

Uruguai: INAC considera exportar para países do Sudeste Asiático

O Instituto Nacional de Carnes (INAC) do Uruguai está explorando a possibilidade de facilitar exportações… Read More

5 de março de 2021

Senador dos EUA proporá lei que impede importação de commodities associadas a desmatamento

Os Estados Unidos deverão discutir em breve um projeto de lei para impedir que o… Read More

5 de março de 2021

Votação na Suíça pode definir peso de exigências ambientais

Pela primeira vez os suíços vão votar sobre um acordo comercial. A consulta popular a… Read More

5 de março de 2021

Rastrear fornecedores indiretos de gado demanda ‘várias engrenagens’, diz membro do comitê de sustentabilidade da Marfrig

O rastreamento dos fornecedores indiretos de gado dos frigoríficos para zerar o desmatamento nessa parcela… Read More

5 de março de 2021

Nova cepa de peste suína africana na China preocupa analistas

Uma nova cepa do vírus causador da peste suína africana (ASF) identificada na China tem… Read More

5 de março de 2021