Carne convencional e carne baseada em células não competem: CEO da Memphis Meats

A necessidade de produtos de carne convencionais e baseados em células se resume a números, e os números exigem uma parceria entre as duas indústrias.

“Eu não vejo isso como sendo de fato competitivo”, disse Uma Valeti, CEO e co-fundador da empresa de carne baseada em células Memphis Meats, no Meat Industry Summit da North American Meat Institute. . “Estou olhando para os números.”

Haverá a produção de carne a partir de animais e de células, porque a população mundial deverá crescer para 10 bilhões (de 7 bilhões agora) até 2050, e a demanda por carne deverá dobrar até lá. Essa é uma exigência – que o Secretário de Agricultura Sonny Perdue descreveu em termos de ter que produzir a mesma quantidade de comida nos próximos 50 anos como já foi produzido na história da civilização – que a pecuária sozinha não conseguirá atender, disse Valeti.

Valeti disse que a vantagem da produção baseada em células, usando células animais cultivadas em cultivadores cheios de nutrientes para o cultivo de carne, é que remove o animal vivo e os recursos e o tempo necessário para criar um animal vivo, além de reduzir o risco bacteriano. associados ao abate. E o processo Memphis Meats pode produzir carne semelhante à carne de um animal em apenas três a seis semanas, disse ele.

“Não é uma alternativa de carne”, disse Valeti, observando que as células animais usadas para cultivar a carne em cultivadores são semelhantes às células de dentro do animal.

A empresa produziu com sucesso almôndegas de carne, frango frito e pato grelhado e realizou várias degustações, por exemplo.

“Eu não vi alguém que não tenha gostado do produto”, disse ele.

Com investidores como a Tyson Foods e a Cargill, a Memphis Meats está buscando parcerias com a indústria da carne como fornecedora de insumos como os nutrientes que a Memphis Meats usa para cultivar carne; como operadores de instalações de produção de grande escala; como parceiros de desenvolvimento de produtos personalizados; como parceiros de formulação de produtos alimentares ; e como distribuidores em canais de food service e varejo, disse Valeti.

Valeti não passou um cronograma sobre quando a Memphis Meats lançará seus produtos no mercado, explicando que a empresa está aguardando clareza sobre como o USDA e a FDA irão regular conjuntamente os produtos à base de carne em termos de inspeção e rotulagem. Ele disse que a empresa quer ser transparente ao comunicar aos consumidores que o produto é carne real, mas também explicar como funciona o processo e como ele difere da produção convencional de carne.

A Memphis Meats vem trabalhando para reduzir os custos de produção de carne à base de células. Inicialmente, ele poderia entrar no mercado premium com uma faixa de preço entre US $ 20 e US $ 50 por libra, e esses preços serão reduzidos nos próximos 10 a 20 anos, disse Valeti. Ele disse que o lançamento começaria pequeno, algo na ordem de algumas centenas ou alguns milhares de libras produzidas por instalações de pequeno porte que se poderia comparar com cervejarias artesanais de vários tamanhos.

Fonte: GlobalMeatNews.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar