Categories: Marketing da Carne

Campanha do INAC impulsiona cortes e promove marca do Uruguai no comércio eletrônico chinês

A carne uruguaia avança na China de mãos dadas com o comércio eletrônico. O Instituto Nacional de Carnes (INAC) promoveu com sucesso o produto na China, por meio do gigante do comércio eletrônico: a plataforma Tmall do Alibaba, que tem cerca de 730 milhões de usuários ativos e é a maior plataforma de conexão da China consumidores, cobrindo mais de 200 cidades.

No mundo do comércio eletrônico na China, participam grandes empresas como a Alibaba, promotora dessa ideia do “Double eleven” – em 2009, ideia seguida por todas as lojas de varejo – e plataformas como a Jingdong (JD.com), outra gigante do comércio eletrônico.

Neste ano, a janela de compra foi estendida em onze dias, o que levou a um recorde absoluto de vendas, que no caso do Alibaba chegou a US $ 74 bilhões.

Esta foi a terceira campanha conjunta realizada entre o INAC e a Tmall em quase um ano e faz parte da estratégia de construção e posicionamento da marca uruguaia de carnes na China, confirmou o Instituto Nacional de Carnes.

Dentro da Tmall existe a “Tmall Alimentos Frescos”, plataforma especializada na categoria de alimentos in natura, com mais de 30.000 operadoras que comercializam produtos importados e nacionais. É neste espaço que foi feita uma campanha promocional da carne uruguaia para Mr Fresh para o 11/11, ou o “double eleven”, como é chamado.

Mr Fresh é um canal com conteúdo para produtos premium de todo o mundo e as principais categorias de alimentos são carnes, frutos do mar, frutas, laticínios, vinhos, condimentos e bebidas.

Entre os produtos premium de vários países, o INAC realizou a campanha de promoção da marca de carnes uruguaia, em cinco produtos cárneos como rabo e garrón, muito desejados pelos consumidores na China.

A forma de compra era entrar na página inicial do Taobao/Tmall ou Tmall Food, e de lá para o canal Mr Fresh. A sinalização e rotulagem dos produtos na Mr Fresh procuraram destacar os produtos importados, os padrões de produção e o acompanhamento de rigorosos protocolos de entrega, serviço e qualidade. A China é o mercado onde os cortes continuam sendo valorizados que em outros destinos não estão tão profundamente enraizados no consumo e se destinam à transformação, onde perdem algum valor.

Fonte: El País Digital, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 26 de novembro de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

INAC promove carne uruguaia em restaurantes da China

O Instituto Nacional de Carnes (INAC) vem desenvolvendo campanhas na China com restaurantes e empresas… Read More

8 de março de 2021

Número de mulheres dirigindo propriedades rurais no Brasil alcançou quase 1 milhão, segundo dados do Mapa, Embrapa e IBGE

O número de mulheres dirigindo propriedades rurais no Brasil alcançou quase 1 milhão. A partir… Read More

8 de março de 2021

Exportações de carne bovina recuaram em fevereiro

As exportações brasileiras de carne bovina (in natura e processada) alcançaram 124,5 mil toneladas e… Read More

8 de março de 2021

Vai um bife por US$ 1mil? É de laboratório

“Garçom, um filab mal passado, por favor”. Um bife de laboratório, cultivado a partir de… Read More

8 de março de 2021

Novas regras para manejo de pastagens no Pantanal em MT

Depois que incêndios consumirem 30% dos 6 milhões de hectares do Pantanal que ficam em… Read More

8 de março de 2021

Fazenda Futuro terá Alexandre Ruberti, ex-Red Bull, no comando da operação nos EUA

A brasileira Fazenda Futuro, startup de proteínas vegetais do empresário Marcos Leta, está expandindo as… Read More

8 de março de 2021