Categories: Giro do Boi

BRF anuncia compromisso de manter empregos até maio

Dona das marcas Sadia e Perdigão, a BRF se comprometeu hoje em preservar os empregos até maio, mas isso não significa que haverá demissões depois desse prazo, afirmou o CEO global da empresa, Lorival Luz.

Em entrevista a jornalistas, o executivo afirmou que o prazo de maio foi dado porque é o período durante o qual a companhia consegue trabalhar com alguma clareza das perspectivas.

“Não estão vislumbrando que algo vai piorar. [O anúncio da manutenção de empregos] é para trazer mais tranquilidade [e] não para criar uma insegurança que não existe para junho”, ressaltou.

Luz acrescentou que a BRF espera que a situação melhore até maio. “Espero que tenhamos passado da fase mais crítica da doença até maio”, afirmou.

Ele também enfatizou que as operações da companhia seguem em funcionamento normal. De acordo com ele, houve redistribuição, com mais produtos no varejo e menos no food service (alimentação fora do lar).

“Não houve, até o momento, queda de volume de vendas”, disse Luz, acrescentando que o food service representa apenas 5% das vendas da BRF no Brasil. No mundo, esse segmento responde por 10% do faturamento da companhia.

A companhia também anunciou hoje que está contratando cerca de 2 mil trabalhadores para se antecipar à eventual necessidade de repor funcionários afastados para o tratamento da covid-19. De acordo com Luz, a expectativa é que um número parecido de funcionários precise se afastar.

Além daqueles que tiveram os sintomas, a BRF já afastou os funcionários dos grupos de risco (pessoas com mais de 60 anos ou com doenças que agravam a covid-19).

Nas fábricas, a BRF adotou o distanciamento mínimo de um metro entre os funcionários, como preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Nas cidades onde há transmissão comunitária do vírus, os cuidados da companhia foram ampliados e incluem a medição de temperatura de todos os trabalhadores.

No ano passado, a receita líquida da BRF chegou a R$ 33,4 bilhões. O Brasil responde por pouco mais de 50% das vendas.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 2 de abril de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Chegou a sua chance de mudar o jogo da fazenda

Se você quer… 📍 Ter uma fazenda com mais lucro, satisfação, reconhecimento com mais harmonia.… Read More

5 de março de 2021

Uruguai: INAC considera exportar para países do Sudeste Asiático

O Instituto Nacional de Carnes (INAC) do Uruguai está explorando a possibilidade de facilitar exportações… Read More

5 de março de 2021

Senador dos EUA proporá lei que impede importação de commodities associadas a desmatamento

Os Estados Unidos deverão discutir em breve um projeto de lei para impedir que o… Read More

5 de março de 2021

Votação na Suíça pode definir peso de exigências ambientais

Pela primeira vez os suíços vão votar sobre um acordo comercial. A consulta popular a… Read More

5 de março de 2021

Rastrear fornecedores indiretos de gado demanda ‘várias engrenagens’, diz membro do comitê de sustentabilidade da Marfrig

O rastreamento dos fornecedores indiretos de gado dos frigoríficos para zerar o desmatamento nessa parcela… Read More

5 de março de 2021

Nova cepa de peste suína africana na China preocupa analistas

Uma nova cepa do vírus causador da peste suína africana (ASF) identificada na China tem… Read More

5 de março de 2021