Categories: Giro do Boi

Bolsonaro pede a Putin que mais frigoríficos brasileiros sejam liberados para vender à Rússia

O presidente da República, Jair Bolsonaro, pediu ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, que mais frigoríficos brasileiros sejam liberados para exportar carnes para lá. Apesar de habilitadas, muitas plantas estão com restrições temporárias para vender aos russos. Esse foi um dos temas da conversa entre os dois chefes de Estado por telefone hoje, que tratou também da fabricação da vacina Sputnik contra a covid-19. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, não acompanhou o diálogo.

“O presidente Bolsonaro enfatizou a necessidade de que mais frigoríficos brasileiros sejam liberados para exportação àquele país”, segundo nota divulgada pela Secretaria Especial de Comunicação Social.

Em nota ao Valor, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) disse que mantém boas expectativas com os avanços das tratativas entre os presidentes de Brasil e Rússia. “Recentemente, autoridades russas sinalizaram a possibilidade de reduzir as tarifas para importações de carne de frango provenientes do Brasil. Neste sentido, há expectativa tanto por novas habilitações como também pela expansão dos volumes de carne de frango e de carne suína importados pelo principal mercado do Leste Europeu, reforçando a parceria comercial histórica entre as duas nações”.

O Brasil vendeu 143,8 mil toneladas de carnes para a Rússia em 2020, negócios que renderam US$ 311,4 milhões. O principal produto comercializado é a carne de frango, com 83,6 mil toneladas, volume 30% maior que o vendido em 2019. Na sequência aparece a carne bovina, com 58,8 mil toneladas, mas que representaram maior valor: US$ 199,7 milhões contra US$ 108,7 milhões da venda de aves, segundo dados do Ministério da Agricultura.

Apesar de ter cinco plantas habilitadas para a Rússia, o Brasil quase não vendeu carne suína em 2020. Foram apenas 100 toneladas, muito abaixo, por exemplo, das 918 toneladas de carne de cavalo vendidas no mesmo período. O baixo fluxo do produto deve-se aos investimentos da Rússia para produção de suínos internamente.

São 30 unidades com permissão para exportar frangos e 11 para a venda de carne bovina. Muitos outros frigoríficos aparecem na lista de plantas habilitadas, mas com restrições, principalmente a partir de 2017.

Para a exportação de carne de frango, por exemplo, são listadas 54 unidades no site do governo russo. Dessas, 23 têm restrições e uma teve a certificação suspensa. No caso da carne bovina, são 58 frigoríficos licenciados para exportar para a Rússia, mas 47 têm restrições temporárias. De carne suína, além dos cinco habilitados, outras 27 plantas estão com restrições.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 7 de abril de 2021

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Exportações de carne bovina do Uruguai estão se recuperando

As exportações uruguaias de carne bovina se recuperaram no primeiro trimestre de 2021 quando comparadas… Read More

14 de abril de 2021

Estudo: Produção bovina pode diminuir emissão de GEE até 50% através de práticas eficientes

Uma equipa de investigação liderada pela Universidade Estadual do Colorado descobriu que a indústria da… Read More

14 de abril de 2021

Exportações de carne em março aumentam 37,7% em relação ao mês anterior em MT

As exportações mato-grossenses de carne bovina em março de 2021 aumentaram 37,7% em relação a… Read More

14 de abril de 2021

MS está entre os estados com maior adoção de sistemas de integração e plantio direto no Brasil

Na semana em que celebramos o Dia Nacional da Conservação de Solos, Mato Grosso do… Read More

14 de abril de 2021

Carne bovina: ‘Brasil pode passar a exportar 35% da produção em breve’

A arroba do boi gordo segue em alta nos mercados físico e futuro. Quem vê… Read More

14 de abril de 2021

Frigoríficos brasileiros operam com margens abaixo de 3%, diz fonte

A disparada do boi e o cambaleante mercado doméstico reduziram as margens dos frigoríficos a… Read More

14 de abril de 2021