Substituição de milho por arroz na ração animal é tema de estudo
30 de junho de 2021
Brasil, Austrália e África do Sul unificam dados genômicos sobre resistência bovina ao carrapato
30 de junho de 2021

Boi gordo: Escalas de abate apertadas sinaliza que arroba deve subir no curto prazo

Nesta terça-feira, 29 de junho, o mercado físico de boiada continuou com preços firmes em todas as principais praças pecuárias, mantendo tendência de alta da arroba.

“A firmeza do preço ainda é baseada na enorme escassez de oferta de animais terminados e aos elevados custos com nutrição”, relata a IHS Markit.

Na avalição da Scot Consultoria, o fluxo de negócios tem atendido às necessidades das indústrias e alguns frigoríficos já programam as escalas para o feriado estadual em São Paulo (9/7).

Levantamento Scot aponta releva estabilidade no preço da arroba paulista. Assim, o boi, a vaca e novilha são negociados, respectivamente, em R$ 317/@, R$ 294/@ e R$ 310/@ (valores brutos e a prazo).

Bovinos jovens destinados à exportação (abatidos com idade até 30 meses, uma das exigências do mercado da China, o maior cliente da carne brasileira) são vendidos em até R$ 320/@ (preço bruto e à vista), acrescenta a Scot.

Segundo a IHS Markit, as indústrias frigoríficas brasileiras ainda trabalham com escalas bastante apertadas.

No Centro-Oeste, informa a consultoria, a dificuldade na aquisição de animais constitui programações de abate resultou em programações de abate ao redor de três dias. Na região, tal situação reforça a tendência de alta nas cotações dos animais terminados.

No Norte e Nordeste, os preços continuam lateralizados diante da menor necessidade de compra e escalas aparentemente mais confortáveis, acrescenta a IHS.

Na região Sudeste, o ambiente também é de estabilidade.

No Sul do Brasil, os preços da arroba também estão firmes. As recentes geadas que atingem a região não têm resultado na maior desova de animais terminados, diz a IHS.

“Essa situação sustenta os níveis recordes de preços no Rio Grande do Sul, que até o momento apresenta o gado mais caro do Brasil, sem qualquer expectativa de recuo nas cotações ao longo dos próximos dias, em função do possível aumento do consumo com a chegada do mês de julho”, observa a IHS.

No Mato Grosso do Sul também existe possibilidade de geada e forte queda de temperatura ao longo dos próximos dias.

Apesar das expectativas dos frigoríficos da região apontarem para um aumento de oferta, os preços mostram tendência de firmeza, uma vez que a grande maioria das plantas opera com baixíssima capacidade operacional e lacunas nas escalas de abate, relata a consultoria.

No mercado futuro do boi gordo, a trajetória de queda nos preços do boi gordo foi interrompida, sinal de que a escassez de boiada ainda será um agravante no pico da entressafra (últimos meses do ano), prevê a IHS.

Depois das fortes quedas dos últimos dias, o contrato com vencimento em outubro/21 fechou a segunda-feira cotado a R$ 315,85/@, com valorização de 0,73% no comparativo diário, informa a consultoria Agrifatto.

O pagamento dos salários aos trabalhadores na primeira semana de julho pode tirar o consumo interno de carne bovina do estado de dormência.

Caso se confirme essa expectativa, é possível que os frigoríficos ativem as suas ordens de compras de boiadas, o que pode resultar em novos acréscimos na arroba em todo o País.

Cotações máximas desta terça-feira, 29 de junho, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 322/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 311/@ (à vista)
vaca a R$ 295/@ (à vista)

MS-C.Grande:

boi a R$ 311/@ (prazo)
vaca a R$ 296/@ (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ 312/@ (prazo)
vaca a R$ 290/@ (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 295/@ (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 308/@ (prazo)
vaca a R$ 298/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 295/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 309/@ (à vista)
vaca a R$ 294/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 305/@ (à vista)
vaca a R$ 295/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca R$ 293/@ (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 293/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 310/@ (à vista)
vaca a R$ 300/@ (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 312/@ (prazo)
vaca a R$ 296/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 286/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 292/@ (à vista)
vaca a R$ 282/@ (à vista)

RS-Porto Alegre:

boi a R$ 332/@ (à vista)
vaca a R$ 319/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 332/@ (à vista)
vaca a R$ 319/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 294/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ 293/@ (prazo)
vaca a R$ 286/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 296/@ (prazo)
vaca a R$ 281/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 298@ (prazo)
vaca a R$ 289/@ (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 296/@ (à vista)
vaca a R$ 287/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 300/@ (à vista)
vaca a R$ 291/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 294/@ (prazo)
vaca a R$ 278/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 292@ (à vista)
vaca a R$ 268/@ (à vista)

Fonte: Portal DBO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *