Categories: Giro do Boi

Blockchain vai ‘descomodificar’ o setor de carnes da Argentina, diz Carnes Validades

A start-up argentina Carnes Validades está criando um serviço baseado em Blockchain para aumentar a rastreabilidade na cadeia de fornecimento de carne. “Os consumidores podem ver o Curriculum Vitae da carne que comem: o que, quem, onde e como foi produzido”, disse seu co-fundador.

A Carnes Validades acredita que a indústria de carne da Argentina sofre com a falta de comunicação. “Muitos produtores e atores da cadeia fazem enormes esforços para melhorar seus sistemas de produção, adaptando-se ao que os consumidores exigem, mas não compartilham essa informação com os consumidores”, disse o co-fundador Diego Heinrich.

A Carnes Validades visa preencher essa lacuna permitindo que os produtores de carne e outros atores da cadeia se alinhem às demandas dos consumidores graças a um serviço de rastreabilidade baseado no Blockchain.

“Isso lhes permitirá melhorar a transparência, a eficiência e a condição, compartilhando informações e controlando as transações dos registros. Hoje, isso não se aplica em nosso país ”.

Ao melhorar o controle sobre a cadeia de fornecimento e fornecer aos consumidores mais transparência sobre a origem de seus alimentos, a empresa iniciante argentina espera “decomodificar” a cadeia de fornecimento.

O benefício de usar blockchain é sua natureza descentralizada, diz a empresa.

“[Isso] significa que nenhum computador ou pessoa possui os registros de transação do gado, é a rede de computadores. À medida que o animal é trocado de um usuário para outro, ele é marcado no tempo e criptografado, criando uma história completa de toda a atividade da vida do animal ”.

Informações como histórico de vacinação do animal, peso, histórico alimentar, ponto de venda e transporte podem ser acessadas por qualquer ator.

Os proprietários de gado podem adicionar informações ao blockchain e nada pode ser removido, o que significa que cada gado tem um registro permanente que não pode ser excluído e que os consumidores podem acessar a qualquer momento.

“Um consumidor em qualquer parte do mundo lê um código QR de uma embalagem de carne ou em um cardápio de restaurante e vê o Curriculum Vitae da carne [que eles comem]: o que, quem, onde e como foi produzido”, disse Heinrich.

A rodada de investidores da Carnes Validades fechou com US $ 120.000, compreendendo 24 partes interessadas das cadeias de carne bovina e suína. Agora está se preparando para lançar sua rodada de investimentos da série A no último trimestre de 2019.

Enquanto a nova empresa ainda está em fase de desenvolvimento de produto, seus co-fundadores são veteranos da indústria agroalimentar e eles são condescendentes com a necessidade – e demanda – por este serviço.

Heinrich é atualmente presidente e sócio da empresa de consultoria agrícola Frontera Sustenable e sócio da DMH Agro Solutions, enquanto Nicolas Balestrini, segundo co-fundador da Carnes Validades, foi gerente geral da Rosenbusch Institute (que tem seu próprio programa de rastreabilidade de carne, Carnes Trazadas Pampa Mia).

“Ter informações sobre a produção de cada corte de carne permitirá que a carne seja descomodificada e, assim, seja capaz de oferecer carne com maior valor agregado [que é] diferenciada pela origem, boas práticas de manejo e sustentabilidade”, acrescentou.

Segundo Heinrich, os consumidores de todo o mundo querem saber mais sobre a origem de sua comida e estão cada vez mais dispostos a pagar por essa informação.

“O objetivo final é que cada empresa comercializadora de carne tenha a capacidade de agregar valor ao seu produto”, disse ele. “[…]

Por sua vez, o consumidor também irá beneficiar porque pretendemos criar transparência em toda a cadeia, o comprador também pode saber claramente o que ele está comprando. Cada ator da cadeia será empoderado ”.

Informações criptografadas em blockchain não podem ser alteradas de forma alguma. Mas isso não impede que as pessoas carreguem informações falsas ou fraudulentas no sistema – uma certificação orgânica falsa para uma determinada fazenda, por exemplo.

Heinrich disse que a empresa usará diferentes maneiras de carregar informações para a plataforma – sistemas de informação manuais, automatizados e públicos – com várias instâncias de validação ao longo da cadeia.

“Reputação é um valor que é construído a longo prazo. Dito isto, é possível mentir uma vez, mas é difícil sustentar a mentira por um longo tempo. Por outro lado, qualquer pessoa que tentar enviar informações erradas corre o risco de perder a rastreabilidade completa dos animais, perdendo assim meses e até anos de valor agregado ”.

Fonte: GlobalMeatNews.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 23 de julho de 2019

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

McDonald’s: Pasto regenerativo para fazendas de carne resilientes no Reino Unido

O McDonald’s UK e a FAI Farms Ltd são pioneiros no Adaptive Multi-Paddock Grazing (AMP)… Read More

26 de fevereiro de 2021

Boi gordo perde força e arroba desvaloriza até R$ 5 nesta quinta

O mercado físico de boi gordo registrou preços de estáveis a mais baixos nesta quinta-feira,… Read More

26 de fevereiro de 2021

Decisão de Lyon de retirar carne das cantinas escolares gera protestos na França

A decisão temporária do presidente da Câmara de Lyon, membro do partido Europa Ecologia –… Read More

26 de fevereiro de 2021

Regulamentação e sustentabilidade desafiam cadeia da carne no Brasil

A cadeia produtiva brasileira da carne está cada vez mais engajada em regularizar a situação… Read More

26 de fevereiro de 2021

Mercosul cobra proposta ambiental de europeus

Uma audiência pública no Parlamento Europeu sobre o acordo União Europeia-Mercosul serviu para a Argentina,… Read More

26 de fevereiro de 2021

JBS quer criar empresa para atuação global em produtos à base de plantas

A JBS pretende criar uma empresa global dedicada especialmente a alimentos à base de plantas,… Read More

26 de fevereiro de 2021