Categories: Giro do Boi

Banco francês deixará de financiar empresas que desmatam Amazônia e Cerrado no Brasil

O banco francês BNP Paribas, um dos maiores do continente europeu, anunciou que só fornecerá produtos ou serviços financeiros para empresas comprometidas com estratégias para atingir, até 2025, o desmatamento zero em cadeias de produção e fornecimento.

A nova política, implementada na semana passada, estabelece condições para produtores, frigoríficos e comerciantes que produzem ou compram carne bovina e soja das regiões da Amazônia e do Cerrado.

Com o novo posicionamento, o banco segue recomendações apresentadas pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) em 2019, quando as lideranças da organização entregaram uma carta e um relatório ao BNP Paribas durante ato da jornada internacional “Sangue indígena, nenhuma gota a mais”.

No documento, feito em colaboração com a Amazon Watch, a Apib denuncia como as empresas de soja, açúcar, carne, couro, madeira e empresas importadoras são protagonistas da destruição da Amazônia e do Cerrado brasileiro e, principalmente, como contam com o apoio de instituições financeiras na Europa e nos Estados Unidos.

Expansão do agronegócio em florestas tropicais

O relatório analisou transações comerciais que ocorreram entre 2017 e 2019 em empresas envolvidas diretamente com o aumento do desmatamento ilegal, assim como os fluxos de investimentos financeiros dos grupos.

A partir dessa pesquisa, a Apib confirmou que as empresas internacionais estão envolvidas diretamente na expansão do agronegócio nas florestas tropicais por meio de credores e investidores em ações.

O próprio BNP Paribas, por exemplo, já aplicou US$ 3,2 milhões por meio de financiamentos, participações e empréstimos para empresas envolvidas com queimadas ilegais nos biomas brasileiros.

Rastreabilidade dos canais de seus clientes

Além do não financiamento de clientes que produzam ou comprem carne e soja em terras desmatadas e convertidas após 2008 na Amazônia e no Cerrado após janeiro de 2020, o banco exigirá total rastreabilidade dos canais de seus clientes;

“As empresas que não podem fazer isso devem ser excluídas de qualquer financiamento, pois não há como garantir que não estejam envolvidas no desmatamento. Além disso, qualquer política sobre a Amazônia e Cerrado deve abordar as formas como as questões de desmatamento se sobrepõem aos direitos dos povos indígenas e tradicionais”, diz nota da instituição.

O texto frisa que propriedades que estão próximas ou impactam comunidades tradicionais não serão financiadas.

A Apib avalia que a adesão a uma política restritiva do banco é uma conquista simbólica e ressanla que se trata da primeira grande ação do tipo por parte de uma instituição financeira internacional.

No entanto, reforça que “continuará no combate e atentamente acompanhando se a nova política se efetivará ou é apenas um ‘marketing’ por parte da instituição”.

Fonte: Brasil de Fato.

This post was published on 25 de fevereiro de 2021

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Exportações de carne bovina do Uruguai estão se recuperando

As exportações uruguaias de carne bovina se recuperaram no primeiro trimestre de 2021 quando comparadas… Read More

14 de abril de 2021

Estudo: Produção bovina pode diminuir emissão de GEE até 50% através de práticas eficientes

Uma equipa de investigação liderada pela Universidade Estadual do Colorado descobriu que a indústria da… Read More

14 de abril de 2021

Exportações de carne em março aumentam 37,7% em relação ao mês anterior em MT

As exportações mato-grossenses de carne bovina em março de 2021 aumentaram 37,7% em relação a… Read More

14 de abril de 2021

MS está entre os estados com maior adoção de sistemas de integração e plantio direto no Brasil

Na semana em que celebramos o Dia Nacional da Conservação de Solos, Mato Grosso do… Read More

14 de abril de 2021

Carne bovina: ‘Brasil pode passar a exportar 35% da produção em breve’

A arroba do boi gordo segue em alta nos mercados físico e futuro. Quem vê… Read More

14 de abril de 2021

Frigoríficos brasileiros operam com margens abaixo de 3%, diz fonte

A disparada do boi e o cambaleante mercado doméstico reduziram as margens dos frigoríficos a… Read More

14 de abril de 2021