Austrália: Imagens digitais dão à Wagyu uma visão clara do mercado premium

Uma ferramenta capaz de medir com mais precisão o marmoreio e a área de olho de lombo em uma carcaça de gado está sendo implementada nas cadeias de fornecimento de Wagyu na Austrália, em um movimento que deve posicionar as marcas de carne bovina em posição privilegiada para atingir o mercado ultra-premium.

A tecnologia de imagem digital, 20 anos em desenvolvimento, foi desenvolvida no Japão para as características do Wagyu.

Com a ideia de estar na frente de medição objetiva de carcaça, a Associação Australiana Wagyu (AWA) fez uma parceria com a empresa por trás da câmera, a Meat Image Japan, e comprou cinco sistemas iniciais que foram vendidos aos membros e agora estão em operação.

A AWA está recebendo manifestações de interesse para uma segunda rodada de cinco sistemas, que estarão disponíveis em dezembro.

O executivo-chefe Matthew McDonagh disse que, embora não se soubesse o tamanho da capacidade de mercado da tecnologia, a AWA tinha um contrato de três anos para apoiar a comercialização das câmeras e estava comprometida com sua implementação, considerando os benefícios óbvios.

A AWA também distribuirá e apoiará a tecnologia de câmeras MIJ na Nova Zelândia e na África do Sul.

A medição objetiva de carcaças na indústria de carne australiana foi reconhecida como um passo necessário para fornecer às cadeias de fornecimento dados mais precisos para a qualidade da carne, disse McDonagh.

“Para a carne Wagyu, a promessa da marca é tudo. Para os proprietários de marcas, o reconhecimento da marca representa uma qualidade conhecida e parte da chave para essa história é o nível de marmoreio.

“Portanto, a classificação precisa do marmoreio dá aos consumidores e proprietários de marcas clareza e confiança na marca e na experiência alimentar.”

A Austrália tem a maior população de gado Wagyu fora do Japão, então faz sentido que nossas cadeias de fornecimento tenham a capacidade de avaliar o produto Wagyu usando as mesmas métricas, disse McDonagh.

Enquanto o trabalho na câmera começou há duas décadas, a versão atual, chamada MIJ30, foi produzida há 18 meses e tem sido usada em um contexto de pesquisa e desenvolvimento na Austrália, provando ser uma tecnologia robusta.

No atual sistema de classificação dos abatedouros, os classificadores de carne qualificados avaliam as carcaças de bovino em um ambiente refrigerado, utilizando um conjunto de medições quantitativas e quadros de referência qualificados para definir a classificação.

Estes parâmetros incluem peso de carcaça, profundidade de gordura P8, dentição, ossificação, pH, teor de gordura intramuscular (pontuação de marmoreio), cor da carne, cor da gordura e área do músculo do olho-de-lombo.

O emprego da câmera de carcaça objetiva MIJ aumenta a precisão das medições de marmoreio e área de olho de lombo para fornecer à cadeia de fornecimento maior confiança na qualidade da carne, explicou McDonagh.

Os resultados iniciais sugerem que algumas carcaças australianas de Wagyu podem classificar bem acima de uma pontuação de marmoreio de 9 ou mais, disse ele.

“O Wagyu é conhecido por sua experiência gastronômica excepcional e isso se deve principalmente às suas características únicas de marmoreio”, disse McDonagh. “O grau e a qualidade da distribuição de gordura é o que determina a qualidade do Wagyu e sua demanda pelos consumidores. “A nova câmera MIJ-30 permite que processadores e consumidores apreciem plenamente essas qualidades. É um grande passo à frente para a indústria de Wagyu na Austrália”.

MIJ30 em ação.

Como funciona a câmera do MIJ-30

A classificação começa com um scan da identificação da carcaça, seguida por uma imagem digital do músculo do olho-de-lombo pelo MIJ-30 para calcular a faixa de características importantes para a qualidade da carcaça Wagyu.

Usando um sistema de análise baseado em nuvem que fornece classificação em tempo real, a câmera tira uma imagem digital que é carregada via Wi-Fi ou Bluetooth e os resultados são dados em 20 segundos. Alternativamente, as imagens podem ser armazenadas em USB para análise no escritório.

O MIJ-30 usa um sistema ótico digital com uma resolução de 12Mb.

As comparações entre a análise química do teor de gordura e o MIJ-30 indicam que 90 por cento de precisão pode ser alcançada.

Os cálculos de área de olho de lombo também são altamente precisos, já que a tecnologia usa detecção automática de bordas e pode compensar variações nos ângulos de corte e rotações da carcaça.

Cada câmera possui um identificador único, fornecendo ao cliente dados seguros e transferência. As imagens tiradas pelo MIJ-30 são marcadas com o identificador, dando ao processador total propriedade das imagens e resultados e rastreabilidade completa.

Fonte: FarmOnline, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar