Austrália: confira um panorama completo da indústria de carne bovina

Nos últimos anos, a economia da Austrália permaneceu forte; no entanto, a confiança dos consumidores australianos está sendo prejudicada pela alto endividamento das famílias e pelo baixo crescimento salarial. A renda disponível não cresceu com a inflação e aumentou amplamente os custos de vida (eletricidade, creches, aluguel), o que está afetando o comportamento de compra do consumidor em torno de categorias como carne fresca, tornando-as mais cautelosas e sensíveis a preço.

No entanto, os australianos em geral continuam a ser grandes consumidores de carne, sendo o sexto maior consumidor per capita de carne bovina do mundo (Fonte: OCDE). O consumo de carne bovina na Austrália está enfrentando alguns desafios e oportunidades:

  • A tendência de “premiumisation” nos canais de varejo e foodservice mostra que os consumidores estão dispostos a pagar mais pela oferta certa. A carne fresca, como a carne bovina, é uma categoria chave na qual os consumidores estão dispostos a gastar mais.
  • Mensagens em torno de fatores como país de origem, impacto ambiental, bem-estar animal, saúde e segurança, juntamente com a integridade alimentar e a transparência, proporcionam oportunidades a serem consideradas na comunicação com o consumidor.
  • A demografia em mutação da Austrália oferece alguns desafios macroeconômicos para a carne bovina com duas grandes tendências de aumento de migrações de países asiáticos (onde a carne suína é a proteína dominante) e uma população envelhecida que está evitando carnes vermelhas por razões de saúde/funcionais/preço.
  • As pressões competitivas continuarão na carne bovina com a atividade de marketing concorrente em andamento (particularmente carne suína), preço agressivo (frango) e o perfil crescente de proteínas alternativas, como peru e salmão.
  • A manutenção da participação de valor será um desafio se o preço prêmio da bovina com relação à carne de frango e suína ficar maior, já que a principal razão para os consumidores consumam menos carne vermelha é atualmente o custo e não a saúde.

Consumidores

  • A demanda do consumidor australiano por carne bovina é afetada por muitos fatores, como mudanças demográficas, crescimento da renda e mudanças nas atitudes e crenças das pessoas em relação a alimentos da família, amigos e da mídia.
  • A conscientização geral sobre a carne bovina é alta entre os australianos, com um consumo médio em torno de duas porções por semana (um pouco menos que o frango) (Fonte: MLA Global Consumer Tracker Australia, 2017).

  • Os pontos fortes da carn bovina estão relacionados à sua percepção de ter uma “qualidade confiável”. Também é percebida como “fácil todos os dias” quando comparado a outras proteínas, como cordeiro, frutos do mar e carne suína, mas está atrás do frango nessa medida (Fonte: MLA Global Consumer Tracker Australia, 2017).
  • Existe uma oportunidade para aumentar o apelo da carne bovina, reforçando as formas rápidas, fáceis e convenientes de prepará-la para refeições saudáveis diárias (Fonte: MLA Global Consumer Tracker Australia, 2017).
  • Quando os consumidores compram carne bovina, as principais informações que procuram na embalagem referem-se ao preço e ao frescor (cor da carne, data de validade), seguidos por elementos naturais, sem hormônios e bem-estar animal (Fonte: MLA Global Consumer Tracker Australia, 2017).
  • A pesquisa de Roy Morgan sobre as atitudes alimentares australianas de 2006 a 2016 destaca algumas tendências importantes que as mensagens de carne bovina podem alavancar com quase três quartos da população (72%) dizendo que gostam de comida de todo o mundo (acima de 65% em 2006). Alimentos sem aditivos também se tornaram cada vez mais populares, juntamente com uma preferência pelo sabor sobre os ingredientes. Curiosamente, algumas das dietas orientadas para a saúde como a dieta com baixo teor de gordura caíram em desuso (Fonte: Roy Morgan).

Aumento dos custos de vida

Os consumidores australianos estão pagando preços mais altos por serviços públicos, creches, saúde e educação, o que, por sua vez, está contribuindo para um consumo mais cauteloso dos consumidores em alimentos e itens de mercearia, segundo recente pesquisa encomendada pela Coles.

O CEO da Coles, John Durkan, disse que os clientes da Coles, particularmente nas áreas socioeconômicas mais baixas, estão deixando de comprar produtos premium para a própria gigante de supermercados e gastando menos com produtos frescos e carne fresca, apesar de relativamente baixa inflação de preços de alimentos no mesmo período.

População cada vez mais diversificada da Austrália

  • Altos níveis de imigração estão impulsionando o crescimento da população da Austrália e também levando a uma população cada vez mais diversificada. Na mais recente pesquisa do ABS, mostrou-se que mais de um quarto dos residentes da Austrália nasceram no exterior e, pela primeira vez na história da Austrália, a maioria dessas pessoas nascidas no exterior é da Ásia e não da Europa. Isso está levando as operadoras de serviços de alimentos e varejistas a olhar para o ajuste do espaço de loja/menu que melhor atinja essas demografias em constante mudança.
  • Como o preço de varejo da carne vermelha tem crescido desde 2013, os consumidores afirmam que o preço é a principal razão para comer menos carne vermelha, acima das preocupações com a saúde ou bem-estar animal/ambiente (veja a figura abaixo).
  • Apesar do prêmio de preço da carne bovina com relação a muitas outras proteínas, o produto continua sendo uma escolha de carne muito popular entre os australianos, sendo o sexto maior consumidor per capita de carne bovina do mundo (Fonte: OCDE).

Varejo

  • A carne bovina teve a maior participação das vendas no varejo do que qualquer carne em 2016-17, com cerca de 36% de participação nas vendas de carne in natura (em valor) (Fonte: Nielsen Homescan).
  • É uma categoria crítica para os varejistas, com um valor médio de cesta de compras de A $ 45, saltando para cerca de A $ 80 quando a cesta inclui carne fresca/frutos do mar (Fonte: Nielsen).
  • Há um foco crescente em opções de conveniência com supermercados expandindo sua gama de refeições prontas e lojas de conveniência experimentando novos formatos e novas promoções. Todos esses varejistas estão direcionando essa tendência de compra e buscando vendas incrementais que poderiam, de outra forma, passar pelo canal de foodservice.
  • A tendência de ‘Premiumisação’está crescendo dentro do varejo e a carne vermelha está bem posicionada, com a carne como uma categoria, sendo a melhor escolha dos consumidores australianos quando se considera um preço mais alto. Pouco menos de um-em-três consumidores (30%) na Austrália considerariam gastar mais em uma oferta de carne premium (Fonte: Nielsen Global Online Survey on Premiumisation).

Foodservice

  • A carne bovina é a terceira proteína mais popular consumida através do canal de foodservice, depois de frango e frutos do mar (Fonte: RIRDC / Fresh Agenda).
  • O setor de foodservice australiano é um canal chave para a carne bovina e fornece aproximadamente 28% da oferta nacional de carne bovina e de vitelo (Fonte: RIRDC / Fresh Agenda).
  • O panorama do foodservice é grande e competitivo, com cerca de 87.000 lugares para comer fora, dominado por restaurantes de serviço rápido (QSR), cafés e restaurantes casuais. Geralmente, é altamente fragmentado, com muitas empresas individuais tendo pequena participação de mercado, exceções incluem QSRs e canais institucionais, como hospitais e atendimento a idosos.
  • Os australianos comem uma média de duas a três vezes por semana, com o mercado de foodservice crescendo a um ritmo moderado nos últimos anos, com uma média de crescimento de 2-3% ao ano. Isso está sendo impulsionado, em grande parte, pelo aumento dos preços das transações, seguindo a “premiumização” das ofertas de alimentos na maioria dos canais (Fonte: GlobalData).
  • Existem muitos fatores que contribuem para a escolha de comer fora ou não, principalmente a ocasião, isto é, onde e quando a refeição ocorre e com quem. Ter filhos na casa indica uma chance mais alta de comer fora, além de influenciar a escolha do local e a escolha da refeição. Quando se trata de onde ir, a conveniência, o valor e a familiaridade são fundamentais, o que explica, em parte, a ascensão de QSRs, refeições para consumo em supermercados e outras opções de refeições casuais.

Fonte: Meat and Livestock Australia (MLA), traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

==========

Viagem Técnica BeefPoint

O BeefPoint está realizando uma viagem técnica à Austrália, de  8 a 19 de maio de 2018. Essa é a última semana para se inscrever!

O prazo máximo é essa sexta-feira, 13 de abril.

Se você tem interesse em participar, acesse o LINK:

https://www.beefpoint.com.br/viagemaustralia.

Saiba mais:

Última chamada:12 lições que aprendi na Austrália sobre pecuária de corte

O segredo da pecuária australiana

 


ou utilize o Facebook para comentar