Augusto Hauber Gameiro fala de sustentabilidade na produção animal

Sustentabilidade na produção animal é um tema que tem crescido em importância nos debates acerca de sistemas de produção. No próximo mês, nos dias 15 e 16 na Cidade Universitária da USP em São Paulo/SP, será promovido o II Simpósio de Sustentabilidade e Ciência Animal (SISCA).

Um dos idealizadores e organizadores do evento, o Professor Augusto Hauber Gameiro, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ/USP), falou com exclusividade à AgriPoint sobre a importância da realização do evento, e sobre os desafios e tendências da sustentabilidade em sistemas de produção animal.

Augusto Hauber Gameiro é doutor e mestre em Economia Aplicada pela Esalq/USP, Engenheiro Agrônomo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e professor doutor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ/USP).

AgriPoint: Qual o principal objetivo do II SISCA?

“O evento tem como objetivo analisar os desafios que recaem sobre as ciências de produção animal e o que a sociedade espera do setor, baseado no tripé da sustentabilidade: o econômico, o humano (social) e o ambiental. A ideia é trazer essa temática para dentro da faculdade, dar um enfoque científico à sustentabilidade. Queremos ser capazes de responder à sociedade o que a ciência tem feito nesse sentido, promovendo uma via de duas mãos, ou seja, levar o que se tem discutido de sustentabilidade, da academia para a sociedade, e o mesmo pelo caminho inverso, trazer as preocupações da sociedade para a academia”.

“O setor de produção animal é muito pressionado pela sociedade e sabemos do potencial de externalidades que os atuais sistemas de produção animal possuem. Nossa ideia é promover uma evolução de caráter sustentável nesse meio, focada também na parte econômica”.

AgriPoint: O que está sendo feito em termos de pesquisa nesse campo?

“A produção científica relacionada à ciência animal, em geral, têm se focado no aumento de produtividade, mas nós também estamos preocupados com a possibilidade de usar a produção animal como forma de reduzir essas externalidades. Na FMVZ estão sendo realizados muitos estudos relacionados à nutrição animal, uso e reaproveitamento de resíduos, ou utilização de sistemas de produção semi-extensivos, sempre com o mesmo enfoque, na sustentabilidade. Também creditamos muita importância à viabilidade econômica nas linhas de pesquisa, pois se trata de um conceito fundamental para o produtor. Pra ele é de suma importância saber se sistemas sustentáveis são economicamente viáveis”.

“A sustentabilidade é um conceito difícil de ser visualizado, parece ser uma realidade muito distante do que é praticado aqui no Brasil. Na Europa e em países mais desenvolvidos, porém, esse é um conceito já enraizado na sociedade e nos produtores”.

AgriPoint: Qual a razão do Brasil estar “atrasado” em relação à produção sustentável?

“O conceito de sustentabilidade é precedido primeiramente por razões econômicas e seguido por razões de cunho ideológico. O Brasil está atrasado em relação à, por exemplo, Europa e Estados Unidos, pois a riqueza natural de nosso país é enorme. Enquanto tivermos abundância de recursos naturais, teremos a sustentabilidade dos meios de produção como uma preocupação secundária.

Na Europa e em outros países desenvolvidos os recursos naturais são escassos e sociedade cobra o setor, justamente, por eles terem esgotados os mesmos. É uma espécie de prestação de contas, mas que tem o lado bom, pois eles evoluíram para um sistema de produção menos danoso ao meio ambiente e que possuí os mesmos índices de produtividade do sistema anterior”.

“Nosso desafio, portanto, é enorme. Enquanto na Europa eles já cresceram em produtividade, nós ainda temos que aliar aumento de produção com sistemas sustentáveis. A sustentabilidade é uma tendência. Um dos convidados do evento, Peter Johan Paul Zuurbier, da Universidade de Wageningen (Holanda), falará das pesquisas que têm sido realizadas na Europa em torno do tema. Será muito importante que saibamos pra onde iremos”.

AgriPoint: Quais suas expectativas em relação ao evento?

“Nosso evento pretende a participação de um público bastante heterogêneo, justamente para colocarmos essa questão em debate, se a viabilidade econômica pode ser associada à sustentabilidade. Esperamos muita gente de diversas áreas da academia, assim como produtores e agentes da agroindústria para enriquecer esse debate”.

Equipe AgriPoint

O diretor da AgriPoint, Marcelo Pereira de Carvalho fará uma apresentação no evento sobre o tema: “O papel da informação na promoção da sustentabilidade dentro das fazendas”. Clique para conferir o programa completo do evento e para realizar sua inscrição.


ou utilize o Facebook para comentar