Produtividade das fazendas de gado de corte caiu em 2021
16 de dezembro de 2021
Carne: o maior superalimento da natureza!
16 de dezembro de 2021

Associações de raça defendem ações para valorização de selos de certificação de carne

As associações de raça de bovinos de corte defendem o fomento de ações ao lado do Ministério da Agricultura e da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) pela valorização dos selos de certificação estampados nos rótulos das carnes premium brasileiras. Representando as raças bovinas com programas de certificação, a Associação Brasileira de Angus entregou ofício à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, nesta terça-feira (14/12), em Brasília (DF). No documento, seis entidades pedem apoio do governo na fiscalização da rotulagem dos produtos a fim de evitar o uso indevido das marcas e os nomes das raças. O documento foi entregue pelo presidente da Associação Brasileira de Angus, Nivaldo Dzyekanski, pela gerente nacional do Programa Carne Angus Certificada, Ana Doralina Menezes, e pelo gerente de Fomento da Angus, Mateus Pivato, em nome da Angus e das raças Devon, Hereford e Braford, Nelore, Wagyu e Charolês.

No Brasil, o uso do nome das raças bovinas no rótulo de produtos é chancelado pelo Ministério da Agricultura por meio de delegação às associações de raça. O processo é gerenciado pela CNA por meio da chamada Plataforma de Gestão Agropecuária (PGA), um sistema lançado em 2015. O protocolo de cooperação prevê integração entre Mapa, CNA e associações de raça para garantir a qualidade e procedência dos cortes ofertados ao consumidor.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Angus, são os selos de certificação a grande garantia de qualidade e segurança aos consumidores. “A preocupação que nós temos enquanto entidade certificadora da Carne Angus, assim como as outras associações de raça que também detêm carne certificada, é que produtos sejam vendidos como Angus ou como outra raça sem ter a certificação da entidade”, exemplifica. Por isso, segundo o dirigente, é necessário que o Ministério da Agricultura, a CNA, o Procon e os órgãos de fiscalização, juntamente com as associações de raça trabalhem de forma consorciada para identificar os produtos comercializados fora do protocolo previsto na gestão da PGA. Na tentativa de identificar e conter o uso indevido da marca, a Associação Brasileira de Angus abriu com um canal de denúncias on-line e fomenta constantemente a valorização do selo de certificação.  

Durante a agenda em Brasília, a Angus também esteve reunida com o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins. Ele destacou a importância dos programas de certificação e reforçou o apoio da CNA em ações para fortalecê-los. Martins ainda defendeu que os produtores sejam remunerados adequadamente por produzir uma carne de qualidade.

De acordo com a gerente nacional do Programa Carne Angus Certificada, Ana Doralina Menezes, a entidade apresentou à ministra e ao dirigente da CNA informações sobre o trabalho realizado pela associação e pelo Programa Carne Angus, sobre crescimento da raça no país e sobre a expansão das vendas para o mercado externo. “Enfatizamos que a Carne Angus Certificada está consolidando-se em países exigentes e que tem potencial para crescer. Destacamos ainda a atuação do programa no sentido de garantir aos consumidores uma carne de qualidade, com procedência atestada”.

Fonte: Jornal Dia Dia.

Os comentários estão encerrados.