Categories: Giro do Boi

Argentina volta a exportar carne para a Malásia, após 10 anos

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca da Argentina informou nesta segunda-feira que o mercado da Malásia foi reaberto para exportar carne resfriada e congelada e miúdos de bovinos. Os embarques foram fechados em 2010 devido a mudanças nos regulamentos malaios para a certificação Halal, um processo de garantia de qualidade que se aplica a alimentos, produtos e serviços exigidos pelos países que praticam o Islã.

“Até então, o Halal era opcional, mas a partir daquele ano tornou-se obrigatório e uma certificação Halal começou a ser exigida, além disso, os requisitos que exigem a certificação de carne foram atualizados”, explicou Miguel Donatelli, coordenador de Relações Internacionais da Senasa. “A essas duas demandas foi adicionada a da Halal Exclusive, o que significava que eram frigoríficos que operavam exclusivamente a Halal, embora isso estivesse se tornando mais flexível”, acrescentou.

A Direção de Serviços Veterinários da Malásia (DVS) negociou com o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agro-Alimentar (Senasa) os requisitos do Certificado Veterinário Internacional (CVI) que acompanhará as remessas para a Malásia. Durante uma visita de auditoria em 2019, representantes da entidade da Malásia verificaram o sistema de produção e abate de carne bovina supervisionado pela Senasa.

Os resultados satisfatórios dessa auditoria permitiram que os esforços entre as partes concordassem com um protocolo sanitário para continuar. Eles também permitiram a habilitação de um estabelecimento e a apresentação de 13 outras partes interessadas, que devem ser avaliadas em breve pela autoridade da Malásia.

Segundo fontes da Senasa, por enquanto, o volume exportado estará sujeito à demanda que esse único produtor autorizado consegue atender.

“Antes, o CVI estava pronto, mas com outros requisitos mais relaxados. Agora, concordamos com a Malásia sobre como esse CVI deve proteger o embarque da mercadoria “, esclareceu Donatelli, acrescentando que, embora a Malásia não seja um mercado muito grande (possui cerca de 32 milhões de habitantes), alto poder de compra o torna um parceiro de negócios interessante.

Fonte: El País Digital, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

This post was published on 23 de julho de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Alemanha encontra seis novos casos de peste suína africana em javalis; já são 86 casos

Mais seis casos de peste suína africana (PSA) foram confirmados em javalis na região de… Read More

22 de outubro de 2020

China pede correções após inspeções em frigoríficos

A auditoria remota feita por autoridades chinesas em frigoríficos brasileiros que estão com as vendas… Read More

22 de outubro de 2020

Ipea eleva estimativa para o crescimento do PIB da agropecuária

A produção recorde de soja na safra 2019/20 e a confirmação de colheitas robustas de… Read More

22 de outubro de 2020

Inmet lança aplicativo com informações meteorológicas para o setor agrícola

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) lançou a versão do aplicativo SISDAGRO (Sistema de Suporte… Read More

22 de outubro de 2020

Produção sustentável nas metrópoles

Exposta pela greve dos caminhoneiros de 2018 e, em todas as suas cores, pela atual… Read More

22 de outubro de 2020

Fazendas urbanas conquistam consumidor

As fazendas urbanas estão colhendo mais do que ervas e verduras. Quatro operações ouvidas pelo… Read More

22 de outubro de 2020