Pesquisa aponta que o consumidor está optando por carne ‘de segunda’
28 de junho de 2021
Avanço da renda no campo transborda para outros setores e estimula atividade econômica no interior do país
29 de junho de 2021

Argentina segue pressionando milho no internacional

O mercado internacional do milho tem preços mistos nesta última semana, enquanto a Argentina continua pressionando, de acordo com informações da TF Agroeconômica. “Enquanto isso, as ofertas no mercado FOB Up River da Argentina chegaram a menos de 80 centavos em relação ao contrato de julho, embora o carregamento posterior tenha aumentado conforme a demanda começou a ser ouvida. 

Por fim, a Bolsa de Grãos de Buenos Aires forneceu sua última atualização  da safra argentina, colocando o progresso da colheita em 47,6% concluído e mantendo a previsão de produção de 48 milhões de toneladas”, comenta. 

“Nos mercados asiáticos, os futuros de milho na bolsa chinesa de Dalian perderam CNY19/t e foram registrados em CNY2.628/t ($ 406,25/t) para julho e CNY2.593/t (400,84/t) para setembro. O mercado  de  milho  do  porto  do  sul  do  Vietnã  foi oferecido  a  US$ 292/t  para  carregamento  de  agosto-setembro,  o  que  equivale  a  um  prêmio  de  198 centavos sobre o contrato futuro de setembro. O  carregamento  de  outubro  foi  oferecido  a  US$ 296,60/t ou 227  centavos em relação ao  contrato  de dezembro entregue aos portos do norte do país”, completa. 

O mercado de milho da Ucrânia não foi mencionado na quinta-feira, já que os compradores da safra antiga e da nova continuam parados.

“Embora  os  valores  tenham  diminuído,  em  linha  com  as  quedas  em  todo  o  complexo,  a  Ucrânia  continua  com preços baixos para datas de carregamento anteriores devido à contínua competitividade do milho sul-americano – especialmente a  Argentina –  enquanto  carregamentos  posteriores continuam aguardando a  chegada  da  compra chinesa. As  ofertas  da  safra  antiga  estavam  na  faixa  de  US$ 282/t a US$ 286/t FOB para carregamento de junho a julho”, indica. 

Fonte: Agrolink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *