Argentina pode fechar o ano exportando 700 mil toneladas de carne

O presidente do Frigorífico Gorina da Argentina, Carlos Riusech, garantiu que a China “é um aspirador de proteínas” e “o Mercosul está aproveitando”, portanto, assim como o Uruguai, será o principal comprador de carne bovina da Argentina.

O empresário acredita que “a China continuará tendo o comportamento de uma demanda estimulada”, que se reflete nos valores a que os produtos estão pagando hoje e sem esquecer que a situação da peste suína não está totalmente controlada. “No segundo semestre, vejo muito estável”, disse ele.

Riusech estima que o país feche o ano exportando cerca de 700 mil toneladas de carne bovina e com um consumo interno de 115 quilos de proteína per capita.

Ao mesmo tempo, ele entende que a Argentina irá mais uma vez cumprir o volume disponível da cota Hilton e continuará ganhando espaço na cota 481, que está prestes a mudar. Ele também disse que eles estão apostando em ganhar espaço nos Estados Unidos com cortes especiais.

Participação no Mercosul

O Presidente do Frigorífico Gorina disse que Alberto Fernández, o candidato melhor posicionado nas eleições primárias, mencionou que o acordo de livre comércio com a União Europeia é “muito bom”, mas revisará alguns aspectos que considera.

De qualquer forma, Riusech disse que o acordo pode ser exequível por cada país na medida em que os parlamentos o aprovarem e possam começar a funcionar literalmente, portanto, garante que Fernandez “não vai querer perder posição”.

Fonte: El País Digital, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar