Categories: Giro do Boi

Agropecuária foi o único setor que criou novas vagas de trabalho no 1º semestre, diz CNA

O agronegócio liderou a criação de novos postos de trabalho com carteira assinada no primeiro semestre de 2020. O saldo entre contratações e demissões no fim de junho foi de 62,6 mil vagas a mais desde janeiro. O agro foi o único setor a apresentar desempenho positivo na geração de empregos formais no período, de acordo com comunicado técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

No total, a agropecuária registrou 437,9 mil admissões e 375,3 mil desligamentos entre janeiro e junho. Os outros segmentos da economia brasileira, como indústria em geral, construção civil, comércio e serviços – mais fortemente afetados pela pandemia – fecharam juntos mais de 1,2 milhão de vagas no semestre.

A criação de vagas no agronegócio no semestre contou com uma grande contribuição de junho. No mês passado, o setor criou 36,8 mil novas vagas.

São Paulo foi o Estado que mais contratou e as culturas permanentes, como laranja e café, foram destaque na abertura de vagas em junho. Segmentos como sementes, produção florestal e aquicultura fecharam mais de 1,8 mil postos de trabalho.

A produção em lavouras permanentes puxou a contratação de trabalhadores em junho. Foram 14,1 mil, com destaque para os cultivos de laranja (7 mil), café (4,9 mil) e uva (1,1 mil).

Na sequência aparecem as culturas temporárias com mais de 10 mil vagas abertas puxadas pela soja (4 mil), algodão (1,1 mil) e cana-de-açúcar (1,1 mil).

Atividades de apoio à agricultura (9,8 mil), criação de bovinos (1,2 mil) e criação de aves (792) completam a lista.

Houve ainda o fechamento de 1,3 mil postos de trabalho na produção de sementes certificadas, principalmente em Minas Gerais, de 355 vagas nas atividades de apoio à produção florestal e de 183 nas de aquicultura.

Sudeste e Centro-Oeste lideraram a abertura de vagas na agropecuária em junho. São Paulo (23 mil), Mato Grosso (3 mil) e Minas Gerais (2 mil) foram os principais geradores de empregos.

Em São Paulo, o cultivo de laranja aparece no topo da lista de atividades com mais vagas abertas. Em Mato Grosso, soja e algodão puxaram as contratações.

Em Minas Gerais, a cafeicultura foi a principal responsável pelos novos postos de trabalho. Espírito Santo (-318), Tocantins (-30), Roraima (-17) e Amazonas (-7) foram os Estados onde o saldo ficou negativo em junho.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 30 de julho de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

SP e GO registra aumento dos custos de produção de bovinos confinados

Na 38 a edição do Informativo do Índice de Custo de Produção de Bovinos Confinados… Read More

7 de agosto de 2020

Paraguai: anunciada a construção de um frigorífico de última geração

Dois dos maiores fazendeiros do Paraguai, Horacio Cartes (ex-Presidente da República) e Maris Llorens (ex-proprietária… Read More

7 de agosto de 2020

Pandemia reforça demanda do consumidor por carne bovina, diz líder da indústria dos EUA

A pandemia de Covid-19 reforçou poderosamente a demanda do consumidor norte-americano por carne bovina, disse… Read More

7 de agosto de 2020

Atenção sanitária deixa frigoríficos de carne bovina em alerta constante

Fiscalizações diárias e até de surpresa, além de um forte esquema de higienização e monitoramento… Read More

7 de agosto de 2020

DTechEX: Carne à base de células não será comum até 2040

As carnes criadas em laboratório a partir de células animais não devem ser compradas pelos… Read More

7 de agosto de 2020

Mundo da fantasia – Por Gil Reis

Recentemente uma notícia foi veiculada de forma bombástica pela mídia internacional, em retaliação ao “desmatamento… Read More

7 de agosto de 2020