Agronegócio teme radicalismo e falta de experiência em equipe de Bolsonaro

O agronegócio foi um dos responsáveis pela colocação de Jair Bolsonaro no segundo turno da eleição presidencial. O setor promete repetir a dose no dia 28, quando será decidido o futuro presidente do país.

Há preocupações, porém, nas lideranças do setor. Uma delas é com a inexperiência do candidato em cargos do Executivo. Ele se cercou de um pequeno grupo, e as diretrizes de governo ainda não estão claras.

Um eventual fracasso de Bolsonaro na Presidência, se for eleito, como mostram as pesquisas, será o caminho mais rápido para a saída do ex-presidente Lula da cadeia, diz um representante do setor.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar