Agronegócio perdeu 46,1 mil vagas no país em 2015

O agronegócio brasileiro encerrou 2015 com perda líquida de 46,1 mil vagas formais, segundo pesquisa divulgada pela Fundação de Economia e Estatística (FEE) do Rio Grande do Sul, vinculada ao governo do Estado. A pesquisa inclui os setores dentro, antes e depois da porteira.

A pesquisa aponta 4,178 milhões de empregos no agronegócio brasileiro no fim de 2015. Desse total, 1,486 milhão estavam dentro da porteira (agricultura, pecuária, pesca, aquicultura, silvicultura, floricultura e horticultura), 253,4 mil antes (insumos, máquinas e implementos) e 2,438 milhões depois da porteira (alimentos, bebidas, fumo, têxteis, couro, madeira, celulose e papel e biocombustíveis).

O segmento dentro da porteira foi o único com desempenho positivo em 2015, com geração de 10,1 mil novas, puxado pelo cultivo de laranja, soja e café e pela criação de bovinos, suínos e aves. Os segmentos antes e depois da porteira perderam 8,9 mil e 47,3 mil postos de trabalho, respectivamente. No segmento depois da porteira, a queda foi puxada pelas indústrias de carne bovina, têxteis e produtos intermediários de madeira, fabricação e refino de açúcar e produção de etanol. O destaque positivo foi o abate de aves e suínos.

Fonte: Valor Econômico, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar