Categories: Giro do Boi

Acrimat analisa balanço de 2020 e perspectivas para 2021

Apesar das dificuldades impostas pela pandemia a todos os setores da economia em 2020, a atividade pecuária se mostrou um dos setores que se manteve firme e confiável, como analisa o presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso, Oswaldo pereira Ribeiro Jr. ”Apesar de todos os problemas que enfrentamos em 2020, para a pecuária foi um ano muito bom. Tivemos uma recomposição significativa dos preços dos animais, seja na reposição ou na terminação”.

O pecuarista acrescenta que houve também um aumento significativo do preço dos insumos, o que contribuiu para a redução da margem de lucro. “Devemos lembrar que na pecuária tudo é cíclico: os preços sempre vão oscilar para cima e para baixo, pois a pecuária não é uma atividade especulativa. Os animais vendidos hoje já estavam programados para chegar a este estágio há três, quatro anos.”

Oswaldo Ribeiro aproveita para agradecer aos pecuaristas, que mantiveram o mercado abastecido. “Parabenizamos estes bravos trabalhadores por ajudar o país a enfrentar as dificuldades econômicas; estende as felicitações ao agro como um todo, que enfrentou tais dificuldades com muito trabalho e dedicação”.

Quanto a expectativa para 2021, o presidente da Acrimat é enfático em dizer que 2021 promete repetir muito do que aconteceu em 2020. “Acredito num balanço positivo para o setor como um todo, apesar do preço alto dos insumos, principalmente os grãos, que devem continuar a ser impactados pelo clima e pela demanda externa, que segue muito alta”.

Para a carne, o mercado chinês ainda será o principal balizador, com a demanda se mantendo em alta.  “Contudo, o pecuarista deve ficar atento a abertura de novos mercados”. Já o mercado interno deve apresentar desafios ainda maiores. “A economia deve se mostrar ainda um importante desafio, com sua situação agravada pela pandemia. Outro fator que devemos estar atentos é sobre o auxílio emergencial do governo, que assim que cessar impactará no consumo de forma acentuada”.

Ribeiro destaca que os preços do bezerro e do boi magro devem continuar em níveis relativamente altos, devido a oferta reduzida na reposição. “Mas num balanço geral a expectativa deve ser vista como satisfatória, pois acredito que o produtor continuará fazendo o que sabe fazer melhor: trabalhar”.

Fonte: Acrimat.

This post was published on 13 de janeiro de 2021

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

McDonald’s: Pasto regenerativo para fazendas de carne resilientes no Reino Unido

O McDonald’s UK e a FAI Farms Ltd são pioneiros no Adaptive Multi-Paddock Grazing (AMP)… Read More

26 de fevereiro de 2021

Boi gordo perde força e arroba desvaloriza até R$ 5 nesta quinta

O mercado físico de boi gordo registrou preços de estáveis a mais baixos nesta quinta-feira,… Read More

26 de fevereiro de 2021

Decisão de Lyon de retirar carne das cantinas escolares gera protestos na França

A decisão temporária do presidente da Câmara de Lyon, membro do partido Europa Ecologia –… Read More

26 de fevereiro de 2021

Regulamentação e sustentabilidade desafiam cadeia da carne no Brasil

A cadeia produtiva brasileira da carne está cada vez mais engajada em regularizar a situação… Read More

26 de fevereiro de 2021

Mercosul cobra proposta ambiental de europeus

Uma audiência pública no Parlamento Europeu sobre o acordo União Europeia-Mercosul serviu para a Argentina,… Read More

26 de fevereiro de 2021

JBS quer criar empresa para atuação global em produtos à base de plantas

A JBS pretende criar uma empresa global dedicada especialmente a alimentos à base de plantas,… Read More

26 de fevereiro de 2021