Categories: Giro do Boi

Acrimat analisa balanço de 2020 e perspectivas para 2021

Apesar das dificuldades impostas pela pandemia a todos os setores da economia em 2020, a atividade pecuária se mostrou um dos setores que se manteve firme e confiável, como analisa o presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso, Oswaldo pereira Ribeiro Jr. ”Apesar de todos os problemas que enfrentamos em 2020, para a pecuária foi um ano muito bom. Tivemos uma recomposição significativa dos preços dos animais, seja na reposição ou na terminação”.

O pecuarista acrescenta que houve também um aumento significativo do preço dos insumos, o que contribuiu para a redução da margem de lucro. “Devemos lembrar que na pecuária tudo é cíclico: os preços sempre vão oscilar para cima e para baixo, pois a pecuária não é uma atividade especulativa. Os animais vendidos hoje já estavam programados para chegar a este estágio há três, quatro anos.”

Oswaldo Ribeiro aproveita para agradecer aos pecuaristas, que mantiveram o mercado abastecido. “Parabenizamos estes bravos trabalhadores por ajudar o país a enfrentar as dificuldades econômicas; estende as felicitações ao agro como um todo, que enfrentou tais dificuldades com muito trabalho e dedicação”.

Quanto a expectativa para 2021, o presidente da Acrimat é enfático em dizer que 2021 promete repetir muito do que aconteceu em 2020. “Acredito num balanço positivo para o setor como um todo, apesar do preço alto dos insumos, principalmente os grãos, que devem continuar a ser impactados pelo clima e pela demanda externa, que segue muito alta”.

Para a carne, o mercado chinês ainda será o principal balizador, com a demanda se mantendo em alta.  “Contudo, o pecuarista deve ficar atento a abertura de novos mercados”. Já o mercado interno deve apresentar desafios ainda maiores. “A economia deve se mostrar ainda um importante desafio, com sua situação agravada pela pandemia. Outro fator que devemos estar atentos é sobre o auxílio emergencial do governo, que assim que cessar impactará no consumo de forma acentuada”.

Ribeiro destaca que os preços do bezerro e do boi magro devem continuar em níveis relativamente altos, devido a oferta reduzida na reposição. “Mas num balanço geral a expectativa deve ser vista como satisfatória, pois acredito que o produtor continuará fazendo o que sabe fazer melhor: trabalhar”.

Fonte: Acrimat.

This post was published on 13 de janeiro de 2021

Share
Published by
Equipe BeefPoint

Recent Posts

Como melhorar a relação com o pai (ou outra pessoa da família) na fazenda?

Vem aí o primeiro Intensivão Legado 2021 sobre sucessão familiar na fazenda. Um dos nossos… Read More

15 de janeiro de 2021

Uruguai adota mais medidas preventivas contra Covid-19 em frigoríficos

Uma equipe público-privada multidisciplinar projetou medidas adicionais para os frigoríficos do Uruguai, buscando evitar os… Read More

15 de janeiro de 2021

Gestora KPTL faz aporte de R$ 3 milhões na startup de rastreabilidade Ecotrace

A KPTL, uma das principais gestoras de venture capital do Brasil, anunciou hoje um investimento… Read More

15 de janeiro de 2021

Marfrig reduz dívida com geração forte de caixa nos EUA

A extraordinária geração de caixa nos EUA viabilizará a redução da dívida bruta da Marfrig.… Read More

15 de janeiro de 2021

Emissão de certificados sanitários para produtos de origem animal cresce 18% em 2020

O Serviço de Inspeção Federal (SIF) registrou o aumento de 18% na emissão de certificados… Read More

15 de janeiro de 2021

Mapa abre consulta pública sobre habilitação de estabelecimentos e trânsito de produtos de origem animal

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou, nesta quinta-feira (14), a Portaria nº 198 que… Read More

15 de janeiro de 2021