Categories: Giro do Boi

Acordo UE-Mercosul pode acelerar desmatamento, diz estudo encomendado pela França

O acordo comercial União Europeia-Mercosul sofreu um novo golpe na Europa, agora com um relatório encomendado pelo governo francês a um grupo de especialistas que conclui que o tratado traz o risco de acelerar o desmatamento.

O estudo sobre o impacto do acordo no desenvolvimento sustentável foi encomendado pelo ex-ministro Édouard Philippe e será entregue amanhã ao novo chefe do governo, Jean Castex, mas suas conclusões foram antecipadas hoje pelo jornal Le Monde.

O documento de 194 páginas diz que a hipótese mais provável, para os especialistas do grupo, é de desmatamento a um ritmo anual de 5% durante seis anos desde a aplicação do acordo, significando 700 mil hectares.

Ou seja, o custo ambiental medido a partir das emissões suplementares de CO2, a um custo unitário de 250 dólares a tonelada, seria mais elevado do que os benefícios econômicos.

Ainda segundo o jornal Le Monde, a comissão baseia seus cálculos sobre o desmatamento provocado sobretudo por abertura de pastos para aumentar a produção de gado no Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai.

O balanço carbono da produção de um quilo de carne bovina seria três vezes superior na América Latina em relação à Europa, segundo o jornal, baseado em dados da FAO, a Agência das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação. Mas há divergências entre cientistas sobre essa questão.

O grupo formado pelo governo francês também é severo sobre vários aspectos sanitários do acordo, entre eles produtos como pesticidas, interditados na Europa, mas autorizados nos países do Mercosul.

O jornal cita também um estudo de impacto encomendado pela Comissão Europeia à London School of Economics, que afirmava que o acordo UE-Mercosul não provocaria emissão de carbono adicional.

Le Monde cita um especialista do Instituto Veblen, um think tank especialista em reformas econômicas, que considera que o acordo com o Mercosul é incompatível com o “green deal” europeu, ou seja, a nova estratégia verde de crescimento europeu.

Existem cláusulas ambientais nos acordos comerciais, mas organizações não governamentais reclamam que a UE tem reticências a aplicá-las na prática.

O relatório pavimenta o caminho para o presidente Emmanuel Macron, com dificuldades políticas, não assinar o acordo UE-Mercosul.

Macron já por mais de uma vez ameaçou não ratificar o tratado alegando que o presidente Jair Bolsonaro não tomava as medidas necessárias para proteger a floresta amazônica.

Na seção de opinião do Le Monde, Sônia Guajajara, representante de povos indígenas do Brasil, e Marie Laura Canineu, diretora de Human Rights Watch no país, publicam artigo intitulado: “A Europa pode nos ajudar a salvar a Amazônia”. Conclamam a UE a não ratificar o acordo com o Mercosul se Bolsonaro não honrar compromissos ambientais.

Fonte: Valor Econômico.

This post was published on 18 de setembro de 2020

Share
Published by
Equipe BeefPoint
Tags: acordoUE

Recent Posts

Alemanha encontra seis novos casos de peste suína africana em javalis; já são 86 casos

Mais seis casos de peste suína africana (PSA) foram confirmados em javalis na região de… Read More

22 de outubro de 2020

China pede correções após inspeções em frigoríficos

A auditoria remota feita por autoridades chinesas em frigoríficos brasileiros que estão com as vendas… Read More

22 de outubro de 2020

Ipea eleva estimativa para o crescimento do PIB da agropecuária

A produção recorde de soja na safra 2019/20 e a confirmação de colheitas robustas de… Read More

22 de outubro de 2020

Inmet lança aplicativo com informações meteorológicas para o setor agrícola

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) lançou a versão do aplicativo SISDAGRO (Sistema de Suporte… Read More

22 de outubro de 2020

Produção sustentável nas metrópoles

Exposta pela greve dos caminhoneiros de 2018 e, em todas as suas cores, pela atual… Read More

22 de outubro de 2020

Fazendas urbanas conquistam consumidor

As fazendas urbanas estão colhendo mais do que ervas e verduras. Quatro operações ouvidas pelo… Read More

22 de outubro de 2020