Abate de bovinos cresce 3,4% e tem segunda alta consecutiva anual

Em 2018, foram abatidas 31,90 milhões de cabeças de bovinos, um aumento de 3,4% (1,03 milhões de cabeças) em relação a 2017. Essa foi a segunda alta consecutiva na série histórica anual. O crescimento foi impulsionado por aumentos em 17 das 27 Unidades da Federação, sendo os mais expressivos em Mato Grosso (+414,73 mil cabeças), Rio Grande do Sul (+205,13 mil), Paraná (+157,50 mil), Rondônia (+125,93 mil), São Paulo (+122,73 mil), Tocantins (+86,94 mil), Santa Catarina (+44,32 mil), Minas Gerais (+33,88 mil) e Goiás (+27,90 mil). As quedas mais intensas ocorreram no Mato Grosso do Sul (-142,20 mil cabeças), Pará (-27,89 mil), Maranhão (-25,60 mil) e Espírito Santo (-23,15 mil).

Mato Grosso continuou liderando o ranking das UFs, com 16,4% da participação nacional, seguido por seus vizinhos do Centro-Oeste: Mato Grosso do Sul (10,3%) e Goiás (10,1%).

Já no 4º trimestre de 2018, foram abatidas 8,14 milhões de cabeças de bovinos, quantidade 1,0% maior que a do 4° trimestre de 2017 e 1,7% inferior à do 3º trimestre.

Aquisição de couro cresce 3% em relação a 2017

Em 2018, os curtumes investigados pela Pesquisa Trimestral do Couro – aqueles que curtem pelo menos 5 mil unidades inteiras de couro cru bovino por ano – declararam ter recebido 35,10 milhões de peças inteiras de couro cru bovino, uma alta de 3,0% em relação a 2017, ou mais 1,03 milhões de peças inteiras de couro, em nível nacional.

Essa alta resultou do aumento do recebimento de peles bovinas em 12 das 20 UFs que possuem pelo menos um curtume ativo enquadrado no universo da pesquisa. Os principais aumentos foram registrados em Rondônia (+624,00 mil peças), Mato Grosso (+352,05 mil), Goiás (+272,41 mil) e Rio Grande do Sul (+229,01 mil). Enquanto isso, as maiores quedas ocorreram em Bahia (-466,95 mil peças), Minas Gerais (-177,84 mil), São Paulo (-118,73 mil) e Espírito Santo (-104,74 mil peças).

Entre as UFs, Mato Grosso continua liderando em 2018, com 16,5% de participação nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (13,0%) e São Paulo (11,9%).

No 4º trimestre de 2018, os curtumes investigados declararam ter recebido 9,0 milhões de peças de couro, uma redução de 1,3% em relação ao trimestre imediatamente anterior e alta de 2,8% frente ao 4° trimestre de 2017. O comparativo entre os 4° trimestres de 2017 e 2018 indicam aumento de 247,53 mil peças no total adquirido pelos estabelecimentos.

Fonte: IBGE.

One thought on “Abate de bovinos cresce 3,4% e tem segunda alta consecutiva anual”

  • Reginaldo Mendes - 20/03/2019

    Bom dia!
    Os fatos foram apresentados, mas quais as possíveis causas para aumento do abate bovino?

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar