A ultra-sonografia já é realidade no manejo reprodutivo de gado comercial e elite

As tecnologias aplicadas à reprodução animal, definitivamente estão se fixando como rotina nas fazendas de gado no Brasil. Este “enraizamento tecnológico” se deve ao crescente esforço de alguns grupos de pesquisadores e técnicos no desenvolvimento e divulgação de estudos científicos que sejam voltados à realidade do campo. Neste contexto, o uso de tecnologias como a ultra-sonografia e a inseminação artificial têm contribuído grandemente na melhoria da eficiência reprodutiva tanto na exploração comercial de carne e leite, quanto no segmento de “gado elite”.

Em cursos recentes, organizados pela USP BRASIL Eletromedicina e pela CLIVAR Reprodução Bovina, na Fazenda Itamaraty, no município de Bom Jesus do Tocantins – PA e na Fazenda Lago Azul (GM Agropecuária; Igarapé do Meio – MA), os veterinários Danilo Pincinato e Lucas Peres, juntamente com o Dr. Torres Júnior, reuniram um seleto grupo de veterinários das Regiões Sul e Sudeste do Pará e Maranhão para discutir as reais potencialidades da ultra-sonografia na reprodução de bovinos.

Durante três dias discutiu-se sobre como usar corretamente esta ferramenta na seleção de novilhas e vacas para ingresso em estação de monta, seleção de doadoras e receptoras de embriões, diagnóstico precoce de gestação, sexagem fetal, entre outras.

Em gado comercial, a iniciação reprodutiva de novilhas depende da ocorrência da puberdade, ou seja, as mesmas devem estar apresentando cios para estarem “prontas” para a monta. Em propriedades onde se usa a inseminação artificial com observação de cios (IA), este diagnóstico é imprescindível a fim de evitar manejo desnecessário de novilhas que ainda não estejam prontas. Caso a opção seja inseminar as novilhas em tempo fixo (IATF), então é fundamental que um veterinário examine tanto os ovários quanto o útero destas fêmeas, atribuindo-lhes um “escore” sob pena de obter baixos índices de concepção. No caso das vacas, este exame direciona o profissional em relação a qual protocolo hormonal usar no programa reprodutivo.

Justamente por possibilitar “ver” o útero e os ovários da fêmea, o ultra-som torna-se uma ferramenta preciosa e extremamente confiável na rotina reprodutiva da fazenda. Após o início da estação de monta com IA ou IATF, é imprescindível o diagnóstico precoce de gestação (26 a 30 dias) para auxiliar na tomada de decisões ainda durante o andamento da estação de monta, como por exemplo, avaliar a qualidade dos inseminadores e do sêmen utilizado nas inseminações, separar lotes de fêmeas gestantes e não-gestantes, resincronizar cios e verificar rapidamente o desempenho dos touros de repasse.

A fazenda Santo Ângelo localizada no município de Aparecida do Rio Negro – TO já vem utilizando a ultra-sonografia há cinco anos, com o objetivo de avaliar a equipe de inseminação, identificar as vacas vazias o mais cedo possível e dar o destino correto às vacas prenhes. Fábio Mello Kliemann, veterinário responsável pela fazenda, diz que a avaliação reprodutiva por ultra-sonografia ajuda a identificar precocemente os animais subférteis ou inférteis do rebanho, diminuindo as perdas por manutenção desnecessária.

Com o alto custo da manutenção de novilhas de reposição, o diagnóstico precoce de gestação torna-se uma alternativa para antecipar o descarte dos animais vazios em até 30 dias, em relação ao diagnóstico de prenhez realizado por palpação retal (30 vs. 60 dias). Se um produtor possui 1.000 novilhas em estação de monta e a taxa de prenhez final for de 85,0%, há 150 novilhas vazias com um custo diário de aproximadamente R$0,45 (aluguel de pasto* + mineralização). Neste caso, a antecipação do diagnóstico/descarte em 30 dias, implicará numa economia de R$2.025,00 aos cofres do pecuarista.

No gado de elite, além das mesmas possibilidades do gado comercial, a prática da ultra-sonografia permite predizer o potencial número de embriões produzidos por uma doadora (pelo número de folículos ovarianos) e a chance de uma receptora ficar prenhe (pelo tamanho e qualidade do útero e do corpo lúteo). No caso de acasalamentos com touros de sêmen extremamente valioso, pode-se examinar a fêmea no momento da IA para verificar a chance de ocorrer a ovulação, evitando o desperdício de doses caras de sêmen.

Há ainda outras técnicas muito utilizadas na reprodução de gado elite, nas quais é indispensável o uso do ultra-som. São elas a aspiração folicular para produção in vitro de embriões (FIV) e a sexagem fetal que pode agregar valor à prenhez pela determinação do sexo do produto.

O ultra-som pode ainda ser usado para o diagnóstico de problemas reprodutivos, avaliação da qualidade de carcaça, avaliação reprodutiva em machos e no desenvolvimento de pesquisas científicas geradoras de tecnologias na área de reprodução animal, o que contribui para a melhoria do desempenho dos rebanhos e da lucratividade do produtor.

*Aluguel de pasto equivalente a 20% do valor da @ de boi (R$61,00; cotação oficial BM&F, Marabá – PA em 05/12/2007) = R$12,20/mês = R$0,41/dia.


ou utilize o Facebook para comentar