A carne de Wagyu poderia proteger contra doenças cardíacas?

Com a chegada da temporada de churrasco, os pesquisadores da Nova Zelândia estão investigando se certos tipos de carne vermelha poderiam realmente proteger contra doenças cardíacas.

Pesquisadores recrutaram homens entre 35 e 55 anos dispostos a comer carne grátis três vezes por semana durante oito semanas em nome da ciência. Os participantes foram abastecidos com carne de Wagyu criadas a pasto, carne bovina produzida com grãos ou carne à base de soja alternativa (eles não podiam escolher qual).

O estudo analisa como os lipídios complexos (gorduras) em carne vermelha não processada de alta qualidade afetam a saúde do coração, usando o grupo de proteína vegetariana como controle. O estudo segue a evidência anterior de que comer carne de vaca Wagyu com moderação pode ajudar a proteger contra doenças cardíacas.

A carne, proveniente de vacas especialmente criadas e alimentadas, é rica em uma gordura chamada ácido linoleico conjugado, ou CLA, e várias outras chamadas “gorduras boas”.

O professor David Cameron-Smith, do Instituto Liggins, da Universidade de Auckland, disse que a carne vermelha é uma excelente fonte de proteína e rica em vitaminas e minerais, como o ferro, mas tem sido associada a um aumento do risco de doenças cardíacas e câncer de colo.

Quase todas as evidências para esses elos vêm de grandes estudos epidemiológicos, que envolvem a identificação de associações entre a dieta descrita pelas próprias pessoas e seu estado de saúde anos depois.

“O problema é que é difícil dizer se essas associações estão ligadas à carne, ou a outros fatores de dieta e estilo de vida”, disse o professor Cameron-Smith. “Outra questão é que muitos estudos não separam os efeitos da carne vermelha fresca e preservada ou processada.”

“A ligação com o câncer de cólon é clara para carne processada. Mas muito poucos estudos científicos – este é o primeiro na Nova Zelândia – estenderam esta pesquisa para realmente avaliar se uma ingestão modesta de carne vermelha fresca boa qualidade tem qualquer impacto positivo ou negativo na saúde”.

Os outros dois pesquisadores que administram o estudo, chamado de CLIMB Study, são o pesquisador do Instituto Liggins, Dr. Amber Milan, e a cientista sênior de pesquisa da AgResearch, Emma Bermingham.

Milan disse que a diferença nos perfis de gordura entre a carne de boi Wagyu e a raça padrão (raça Angus-mista alimentada com grãos) tem a ver com a raça da vaca e com as práticas de alimentação.

“As vacas alimentadas a pasto naturalmente têm mais ômega-3 e outras ‘boas gorduras’, como DPA e CLA, que têm propriedades anti-inflamatórias. O CLA é exclusivo dos ruminantes porque é produzido pelas bactérias em seus intestinos.”

Estudos prévios do Professor Mark Vickers e da Dra. Clare Reynolds, do Instituto Liggins, descobriram que as ratas prenhes com uma dieta rica em gordura que receberam suplementos de CLA ganharam peso, mas tiveram uma redução em vários efeitos negativos na saúde que geralmente andam de mãos dadas com o ganho de peso, como inflamação e intolerância à glicose.

Não só isso, a prole dessas mães suplementadas mostrou alguns benefícios duradouros para a saúde na vida adulta, incluindo a melhoria da saúde metabólica e reprodutiva.

Milan disse: “Nosso estudo mostrará se essas gorduras benéficas na carne têm efeitos positivos semelhantes aos da saúde em humanos, e poderiam ajudar a prevenir doenças cardíacas mais tarde na vida”.

Os pesquisadores recrutaram participantes que estão do lado pesado com colesterol levemente alto, com idades entre 35 e 55 anos e consumindo carne vermelha em sua dieta regular.

Eles recebem três porções de carne vermelha (ou alternativa) por oito semanas. Antes e depois de seguir a dieta, eles visitam o Instituto para dar amostras de sangue, urina e fezes.

Os pesquisadores analisarão essas amostras para procurar mudanças nos indicadores de saúde, como lipídios no sangue, incluindo colesterol, e mudanças na composição da gordura corporal, e verificar se há mudanças no microbioma intestinal, onde esperam ver diferenças claras entre os grupos de carne vermelha e vegetarianos.

Os resultados deverão sair em meados de 2019.

Fonte: TheCattleSite, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe seu comentário

Todos os campos são obrigatórios


ou utilize o Facebook para comentar