Exportadores do agro e governo discutem ‘apagão’ portuário
23 de setembro de 2021
CEPEA: Indicador recua 4,5% nesta parcial de setembro
23 de setembro de 2021

6 cuidados essenciais ao dar injeção nos bovinos

Todos os sistemas de criação de bovinos precisa dar injeções nos animais em algum momento, mesmo os sistemas de produção orgânicos. A verdade simples é que vacinas, vitaminas e minerais injetáveis, antibióticos, antiinflamatórios e outros produtos de saúde animal são administrados a praticamente todo o gado.

Mas essa tarefa não é tão simples quanto apenas inserir a agulha e empurrar o êmbolo ou puxar o gatilho. As injeções devem ser sempre administradas de forma adequada para minimizar resíduos e lesões no local da injeção e reduzir o risco de reações e efeitos colaterais.

Dessa forma, existem alguns cuidados que são críticos e precisam ser tomados na hora de dar injeções nos animais.

1) Leia o rótulo

Para garantir a correta aplicação da medicação ou outro produto, é importante ler os rótulos. As empresas farmacêuticas estão sempre atualizando seus rótulos, de forma que você não pode presumir que é igual ao que você já conhece.

A dosagem ou os locais de injeção podem mudar. Algo que foi administrado por via intramuscular (IM) no passado, ou com uma opção para IM ou injeção subcutânea, agora pode ser rotulado apenas para uso subcutâneo.

Hoje, a tendência é colocar todos os produtos subcutâneos no pescoço, em vez de em qualquer região atrás do pescoço, mas, ocasionalmente, quando você está aplicando várias injeções em um bezerro pequeno e não tem área de pescoço suficiente, pode injetar sob a pele solta atrás do ombro.

O mais importante é nunca aplicar injeções nos quartos traseiros. A garupa era um local tradicional para injeções intramusculares, porque era o lugar mais fácil de alcançar ao processar o gado por uma pista sem manejá-lo individualmente. No entanto, isso criou problemas com danos aos tecidos e abcessos nos melhores cortes de carne.

2) Instalações adequadas

Pode ser difícil aplicar injeções no pescoço em uma situação de pista, quando os animais enfiam a cabeça embaixo da próxima vaca ou se movem para frente e para trás. As novas rampas com extensores de pescoço são úteis, reduzindo o risco de ter sua mão ou braço ferido, seringas quebradas ou agulhas dobradas ou quebradas.

As instalações de manejo melhoraram, assim como a educação dos criadores sobre as formas adequadas de dar injeção no gado. Fazê-lo da maneira antiga pode economizar tempo durante o trabalho com o gado, mas você pode pagar o preço depois, com problemas no frigorífico, como corte excessivo ou carcaças condenadas.

Vale a pena o tempo gasto para administrar esses produtos de forma adequada, em um local que irá melhorar em vez de prejudicar a qualidade da carne. Também há evidências de que melhores níveis de tecidos de certos produtos podem ser alcançados quando administrados mais perto da cabeça, em comparação com quando são administrados na extremidade posterior.

3) Mantenha sempre a limpeza

Nunca dê injeções em uma pele suja. Certifique-se de que o local esteja limpo e seco.

Certos produtos tendem a ter mais reações. Com outros, é raro ver um problema, mesmo se a injeção for administrada em uma pele suja. Mas com alguns produtos, a menos que o local seja extremamente limpo, é quase certo que você terá um problema.

Obviamente, você não pode fazer tricotomia em todos, mas pode garantir que a área esteja o mais limpa possível. Não perder tempo limpando a área pode resultar em muito tempo gasto no tratamento de um animal.

Ocasionalmente, no entanto, o animal está tão sujo em ambos os lados que, mesmo se você limpá-lo, estará injetando em uma pele molhada e suja. Nessa situação, você precisa lavar a área e depois secá-la da melhor maneira possível. Se isso não for possível, você pode administrar a injeção em uma área mais limpa, como sob a pele solta sobre as costelas, na área do perímetro. Isso não é o ideal, mas pode ser preferível à injeção em um local extremamente sujo.

Lembre-se que se precisar administrar injeção em um animal sujo, deve trocar a agulha para os próximos animais.

4) Comprimento e tamanho da agulha

Escolha o tamanho e o comprimento adequados da agulha para o medicamento administrado, tendo em consideração o local da injeção. Uma agulha de diâmetro maior (não menor que calibre 16) é preferível para gado adulto com peles grossas, porque você tem menos tendência a dobrar ou quebrar a agulha. Os bezerros têm pele mais fina e uma agulha de diâmetro menor (calibre 18) pode ser usada. Se a agulha for muito grande, haverá mais dor e mais chance de o produto vazar pelo orifício maior.

O tamanho da agulha depende de muitas coisas, incluindo a consistência do produto. Alguns são mais grossos e difíceis de passar por uma agulha pequena. Com um produto mais espesso, leva muito tempo para dar a injeção, ou você pode ter que aplicar tanta pressão que a agulha e a seringa se separam em alguns casos. Se um produto for mais fluido (menos viscoso), uma agulha de calibre menor pode ser usada.

O comprimento da agulha é determinado pelo local da injeção e também pode depender do tipo de seringa usada; as agulhas mais longas são para injeções intramusculares. Para injeções subcutâneas, ao inclinar a pele para enfiar a agulha por baixo, você vai querer uma agulha mais longa do que a que usaria em uma pistola de seringa apontada em um ângulo na pele.

Ao injetar muitos bovinos em um curto período de tempo usando uma seringa de dose múltipla, é mais fácil usar uma agulha mais curta colocada no ângulo adequado, então há uma chance mínima de entrar no músculo. Agulhas mais longas aumentam a chance de que o produto não seja depositado por via subcutânea.

5) Localização e dosagem

Ao dar várias injeções em um animal, não administre todas no mesmo local. É importante espaçá-las vários centímetros de distância, ou em diferentes lados do pescoço.

Se o rótulo de um antimicrobiano diz para não depositar mais do que um determinado volume em um local, há mais probabilidade de resíduos de tecido se você colocar mais do que o volume recomendado em um local. O produto também pode ser de absorção mais lenta.

Os resíduos são uma preocupação, por isso siga as instruções. Cada vez que você dá injeção em um animal, há possibilidade de reação. Para minimizar isso, você precisa de contenção adequada, tamanho de agulha adequado e técnica adequada, para que possa administrar a quantidade adequada no número apropriado de locais. Se você tem um touro de 800 quilos que precisa de um grande volume de um determinado produto, é essencial seguir as instruções do rótulo.

Existem alguns produtos disponíveis que são intranasais ou colocados na boca, em vez de injeções. Leia os rótulos e certifique-se de que está fazendo isso corretamente e usando a dosagem adequada.

Certifique-se de que a sua seringa multidose está administrando uma dose correta a cada vez. Se for uma seringa grande e uma dose pequena, avalie se está injetando o volume completos. Para incrementos menores, você pode usar uma seringa menor que seja mais precisa.

6) Mantenha registros

Seja sistemático na forma como você dá injeções e mantenha registros. Ajuda se você administrar uma determinada vacina consistentemente no mesmo local. Saber que você administra o produto A no lado esquerdo do pescoço, ao invés de aleatoriamente em ambos os lados, ajudará a identificar o que pode ter causado uma reação. Ocasionalmente, certos lotes de um produto estão associados a reações. Se você não sabe onde aplicou a injeção, não é possível determinar se aquele produto estava associado a um problema.

É frequente dar mais de uma injeção no mesmo momento. Sempre coloque a mesma vacina na mesma seringa. Marque as seringas ou coloque fita adesiva com código de cores nelas para nunca cometer erros.

Fonte: BEEF Magazine, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *