10 principais erros que separam uma empresa familiar

“Podemos evitar muitos desafios diários e catástrofes de empresas familiares se aprendermos com os erros dos outros. De conversas a contratos, de suposições a esclarecimentos, de reclamações a comemorações, vamos abrir os olhos e salvar os combates no caminho para a casa funerária”, disse Jolene Brown, consultora de negócios agrícolas e palestrante profissional.

Brown compilou os 10 principais erros que frequentemente vê em suas consultorias a empresas agrícolas familiares.

1. Assumir que todos os relacionamentos genéricos equivalem a boas relações de trabalho

Aceitação em uma família é incondicional. Aceitação em um negócio é condicional. Não é um direito de nascença. Brown sugeriu algumas questões importantes a considerar e perguntar.

– Os proprietários existentes realmente querem que o negócio continue como um negócio? Isso inclui a transição de trabalho, gestão, liderança e propriedade.

– Para onde vai o negócio? Você tem uma visão clara e metas comuns para o negócio?

– O que antes de quem: Defina e decida a liderança. Os planos de transição são conhecidos e aceitos pelos membros envolvidos do negócio? Os membros da família que não estão envolvidos no negócio foram informados?

– Você definiu um período de co-gestão para transferência de liderança e propriedade progressiva? Isso atende às expectativas dos envolvidos?

– Você construirá pontos fortes individuais enquanto tolera deficiências individuais?

2. Acreditar que a empresa pode apoiar financeiramente todos e quaisquer membros da família que queiram trabalhar junto.

– A geração sênior garantiu seu futuro financeiro?

– Qual é o seu custo estimado de vida para cada unidade familiar?

– O fluxo de caixa corresponde à estimativa?

– Os recursos financeiros e o nível de desempenho do negócio são fortes? Você conhece índices fiscais importantes, custo de produção por empresa, etc.?

3. Assumir que os outros irão/devem/precisam mudar, e não eu

É fácil esquecer que se comprometer é uma escolha. Ter conversas sobre quais mudanças são necessárias e como você pode trabalhar em conjunto para se encontrar no meio é a situação ideal.

4. Presumir que uma conversa é um contrato

Para ser um bom negócio, você precisa ter acordos esclarecidos por escrito, não apenas conversas. Exemplos de documentos para colocar por escrito incluem um plano de negócios, declaração de missão, calendário principal, estratégia de saída, etc.

5. Acreditar que a leitura da mente é uma forma aceitável de comunicação.

Como você provavelmente já percebeu, a leitura da mente não é uma forma aceitável de comunicação. É benéfico ter um contrato para comunicar expectativas claras sobre sua operação.

Por exemplo: “Todos aqui devem ter uma boa atitude. Isso significa que sorrimos, somos amigáveis e nos tratamos bem. Grunhidos e influências negativas não podem dominar este lugar. Sim, todos nós temos nossos dias ruins, mas esperamos atitudes geralmente positivas de todos.”

6. Deixar de desenvolver habilidades de comunicação e ferramentas de reunião quando estiver em períodos bons, para que sejam implementados quando os tempos forem difíceis

Embora pareça tolo ter tempo para se comunicar e se encontrar com a família envolvida no negócio, ter habilidades de comunicação fortes é essencial. Concentrar-se na comunicação beneficiará você e sua empresa familiar quando surgirem complicações ou desentendimentos.

7. Ignorar os parentes do casamento e a família que está fora da fazenda.

Você tem expectativas para seus parentes no seu negócio? Eles conhecem essas expectativas? Quais são seus papéis no negócio? É fácil esquecer os parentes e a família que está fora, mas eles podem ter um grande impacto sobre a propriedade atual ou futura da sua empresa.

8. Esquecer de usar cortesia comum

Muitas vezes tratamos os estranhos nas ruas com mais cortesia do que os familiares. Todos merecem reconhecimento, elogios, agradecimentos e apreciação. Muitas vezes, coisas com o menor custo como um elogio simples, merece o maior retorno.

9. Não ter propriedade legal e discutida, plano de transferência de gestão ou contrato de compra/venda.

Por mais difícil que seja de aceitar, os pais não devem a seus filhos um negócio. Em vez disso, os pais devem aos filhos a moral, os valores e uma oportunidade para a educação, além de planos legais, discutidos e revisados.

10. Negligenciar fatos vitais de justo e igual, pagar em dinheiro por dívidas emocionais e deixar de comemorar.

Para evitar esse erro, você precisa entender a diferença entre justo e igual. Reconheça que a agricultura só pode ser um modo de vida para aqueles que a tratam como um negócio e lembre-se de ter tempo para celebrações. Que evento futuro você poderá comemorar? Como os membros da sua equipe gostam de comemorar?

Embora todos cometamos erros, Brown enfatizou um ponto importante: você precisa planejar e estar preparado. Se você ou o líder de sua fazenda morressem amanhã, o que aconteceria?

A dura realidade é que muitos de nós não sabemos o que aconteceria ou qual seria o plano no caso de uma morte inesperada. Mantendo esses 10 erros comuns em mente e preparando-se para o futuro, você pode manter seus negócios familiares fortes e prósperos.

Fonte: Vita Plus, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


ou utilize o Facebook para comentar